TCU dá prazo de 30 dias para Dilma explicar irregularidades nas contas

16/06/2015 - Geral


Senadora integrou grupo de parlamentares que esteve com o relator, ministro Augusto Nardes, no dia anterior ao julgamento

Ana Amélia espera julgamento com rigor técnico do TCU em relação às contas de 2014 da presidência

A senadora Ana Amélia (PP-RS) integrou o grupo de parlamentares que esteve com o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, nesta terça-feira (16). O gaúcho é o relator das contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff. Fizeram parte do grupo os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP), José Agripino (DEM-RN), Eduardo Amorim (PSC-SE) e Ronaldo Caiado (DEM-GO).

Na conversa, Augusto Nardes contou que na sua gestão como presidente do TCU criou uma política de governança para mostrar ao gestor público os caminhos para a boa aplicação dos recursos. Além disso, segundo ele, foram feitas especializações em auditorias em áreas de grande interesse da população, como saúde, infraestrutura, segurança e educação, credenciando o TCU entre os órgãos mais qualificados do mundo na fiscalização das contas públicas.

Sobre a decisão dos ministros, ao falar na tribuna na terça-feira, Ana Amélia disse esperar um julgamento com rigor técnico.

— Não sei qual será o voto do ministro, mas com a ressalva de que as pedaladas não foram a medida e a política mais adequadas para a gestão pública do nosso País. Faço este registro imaginando que a quarta-feira será um momento relevante para a consolidação, para a transparência e para o rigor das contas públicas — acrescentou a senadora.

Os senadores também foram recebidos pelo presidente do TCU, Aroldo Cedraz.

Ana Amélia espera julgamento com rigor técnico do TCU em relação às contas de 2014 da presidência

Decisão

No dia seguinte à visita dos senadores, o TCU decidiu, por unanimidade, adiar a votação do relatório prévio que analisa as contas do governo referentes a 2014, e deu prazo de 30 dias para que a presidente Dilma Rousseff esclareça indícios de irregularidades encontradas pela fiscalização, entre elas as chamadas “pedaladas fiscais”. 

O plenário do tribunal seguiu voto do relator do processo sobre as contas de 2014, ministro Augusto Nardes. É a primeira vez que o TCU adia votação desse tipo de parecer. A corte também nunca votou pela rejeição as contas de um presidente.

A presidente Dilma deverá encaminhar as respostas por escrito. Após recebê-las, Nardes irá compor um novo parecer, que será apresentado ao plenário para votação. Em seguida, ele será encaminhado ao Congresso, que tem o poder para aprovar ou reprovar as contas de presidentes.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

9 de nov
“Criminosos que destruíram fazenda na Bahia têm que responder pelos 100 desempregados”, defende Ana Amélia
A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) leu nesta quinta-feira (9), no Plenário do Senado, uma carta que recebeu de Rogério Aranibar, funcionário do grupo Igarashi cuja planta, em Correntina, no Oeste da Bahia, foi destruída por criminosos…

8 de nov
Congresso derruba um veto de Temer e mantém outros três
O Congresso rejeitou nesta quarta-feira (8) o veto do presidente Michel Temer a uma lei que convalida incentivos concedidos a empresas pelos governos estaduais. Outros três vetos foram mantidos pelos parlamentares, e cinco serão votados em nova sessão conjunta, marcada para dia 22…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail