Sistema para oficializar regulamentação da lei dos free shops será concluído até fim do ano, informa Receita Federal

01/07/2015 - Economia


Senadora Ana Amélia participou da reunião com o secretário de Aduana, Ernani Argolo

Sistema para oficializar regulamentação da lei dos free shops será concluído até fim do ano, garante Receita Federal

O secretário de Aduana da Receita Federal, Ernani Argolo, confirmou nesta quarta-feira (1º), em reunião com parlamentares, prefeitos e lideranças de municípios de fronteira, que até o final do ano estará concluído o sistema de controle da cota de compras para que seja regulamentada a lei que autoriza a instalação de free shops nas cidades gêmeas no lado brasileiro. Ficou acertado que no dia 16 de outubro, em Foz do Iguaçu, será realizado um encontro com a presença dele, de técnicos da Receita Federal e de representantes de 26 municípios contemplados pela lei em todo o País para que sejam anunciados os detalhes finais do processo.

O encontro em Brasília reuniu a relatora da lei, senadora Ana Amélia (PP-RS), o deputado estadual Frederico Antunes (PP), o presidente do Parlasul, deputado Ciro Simoni (PDT), o autor do projeto, deputado federal Marco Maia (PT), o deputado federal Jeronimo Goergen (PP), o prefeito de Santana do Livramento, Glauber Lima (PT), o prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB), o presidente da Associação Comercial de Santana do Livramento (Acil), Sérgio Oliveira e assessores. Participaram também o subsecretário-adjunto de Aduana, Luís Felipe Barros, e o coordenador Geral de Aduana, José Carlos de Araújo.

A regulamentação da lei é aguardada desde o fim de 2012, quando foi aprovado o projeto no Congresso Nacional e sancionada a lei pela Presidência da República. No encontro, o secretário da RF disse que o processo é mais complexo do que se imaginava, justificando a demora, mas ressaltou que os ajustes estão sendo finalizados para que o sistema de informatização do controle das compras esteja funcionando até o final do ano e a partir disso seja concluída a regulamentação.

A senadora Ana Amélia e o deputado Frederico Antunes destacaram a importância de agilizar o processo para beneficiar a economia de municípios como Santana do Livramento, gerando emprego e renda à população. O prefeito Glauber Lima também falou da expectativa positiva pela regulamentação.

— Além de gerar empregos diretos e indiretos, vai proporcionar um aumento do fluxo permanente de turistas. Portanto, só tem coisas positivas pra trazer para a nossa fronteira — salientou o prefeito.

No Rio Grande do Sul, além de Santana do Livramento, outras nove cidades estão contempladas pela lei: Chuí, Jaguarão, Porto Xavier, Aceguá, Barra do Quaraí, Itaqui, Quaraí, São Borja e Uruguaiana.

Sistema para oficializar regulamentação da lei dos free shops será concluído até fim do ano, garante Receita Federal



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

8 de nov
Comissão mista da Lei Kandir ganha mais 120 dias de trabalho
Foi aprovada nesta quarta-feira (8), em sessão do Congresso Nacional, a prorrogação dos trabalhos da Comissão Mista Especial da Lei Kandir. A comissão, que teria até 12 de dezembro para trabalhar, ganhou mais 120 dias. A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), membro da…

Plano de recuperação fiscal do RS é entregue à Temer
Em reunião com o presidente da República, Michel Temer, nesta terça-feira (08), o governador José Ivo Sartori, apresentou o pedido de acordo para aderir ao Regime de Recuperação Fiscal do Estado. Durante o encontro, que contou com a presença da senadora Ana…

“País chegou ao ápice da crise federativa”, diz senadora
O relator da Comissão Especial Mista da Lei Kandir, senador Wellington Fagundes (PR-MT), recebeu comitiva de parlamentares gaúchos nesta quarta-feira (08). O grupo, integrado pela senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), reclama que o relatório reduz as chances de o Rio Grande do Sul receber os…

1 de nov
Avança na Câmara projeto que garante acesso das cooperativas de crédito aos recursos do FAT
O projeto de lei 3.067/2011, que autoriza o acesso das agências oficiais e bancos de desenvolvimento, bancos cooperativos e confederações e centrais de cooperativas de crédito aos recursos do Fundo de Amparo…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail