Sescon/RS apoia projeto de correção da tabela do Imposto de Renda

30 de mar - Economia


Presidente da entidade apresentou estudo sobre os impactos do reajuste na economia

Sindicato apresenta estudo sobre impacto da correção das tabelas do Imposto de Renda na economia

Um estudo inédito realizado pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Rio Grande do Sul (Sescon-RS) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) revela que, dos R$ 97 bilhões arrecadados pelo Imposto de Renda em 2014, R$ 37,8 bilhões originaram-se da não aplicação de correção real na tabela do tributo. O estudo foi entregue pelo presidente do Sescon-RS, Diogo Chamun, à senadora Ana Amélia (PP-RS).  

A parlamentar gaúcha é autora do Projeto de Lei do Senado (PLS) 2/2014, que propõe o reajuste da tabela anualmente com base na inflação. O último ajuste foi há 20 anos. O Sescon-RS apoia o PLS 2/2014. De acordo com Chamun, a correção da tabela do Imposto de Renda retido na fonte traria impactos na economia nacional e no orçamento familiar.

— Caso a correção da tabela fosse aplicada desde 1996, dos 16 milhões de contribuintes que pagaram Imposto de Renda, em 2014, apenas 7,8 milhões seriam contribuintes de fato. O valor do consumo médio das famílias brasileiras teria crescido 1,1%. Na prática, sem o ajuste na tabela, o que ocorre é o aumento da carga tributária e a perda do poder de compra do brasileiro — disse.

No ambiente macroeconômico, segundo o estudo, a correção da Tabela do Imposto de Renda retido na fonte, em um ano, eleva o PIB brasileiro em 0,2%. A longo prazo, pode gerar ganhos anuais de 0,44% na atividade econômica brasileira. Para o mercado de trabalho, a projeção seria de 240 mil empregos anuais gerados

— A correção da tabela de Imposto de Renda retido na fonte pela inflação acabaria com a defasagem acumulada nos últimos 20 anos ocorrida, evitando o aumento da já excessiva carga tributária. Isso seria justiça social aos trabalhadores — diz Ana Amélia.

O PLS 2/2014 está na Secretaria Legislativa do Senado e aguarda votação de requerimentos. 

Sindicato apresenta estudo sobre impacto da correção das tabelas do Imposto de Renda na economia


Fonte: Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

25 de mai
Artigo no jornal NH:
Em artigo publicado no Jornal NH, de Novo Hamburgo, nesta quinta-feira (25), a senadora Ana Amélia (PP-RS) defendeu que o governo reveja medidas que oneram setores importantes da economia brasileira. "O Brasil com 14 milhões de desempregados não dá direito ao governo para aumentar esse contingente com decisões…

Senado aprova MP que permite saque das contas inativas do FGTS
O Plenário do Senado aprovou, nesta quinta-feira (25), a Medida Provisória 763/2016, que permite o saque dos recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) sem a carência de três anos exigida pela lei.A senadora…

23 de mai
Irresponsabilidade da oposição penalizará 15 milhões de trabalhadores, alerta Ana Amélia
A promessa de líderes da oposição de que irão obstruir todas votações em protesto contra o governo penalizará 15 milhões de trabalhadores que ainda não efetuaram o saque das suas contas inativas do FGTS, alertou a senadora Ana Amélia (PP-RS)…

Governo vai analisar impactos da desoneração da folha no setor coureiro-calçadista
Em audiência nesta terça-feira (23), o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, solicitou ao presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, estudo sobre o impacto da desoneração da folha de pagamento no setor coureiro-calçadista. A…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail