Senadores garantem empenho para viabilizar Censo Agropecuário

06/10/2016 - Agricultura


Duas propostas foram apresentadas na reunião da Comissão de Agricultura, presidida pela senadora Ana Amélia

Senadores garantem empenho para viabilizar Censo Agropecuário

Para garantir a realização do Censo Agropecuário em 2017, a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária propôs duas alternativas na audiência pública com a presença do presidente do IBGE, Paulo Rabello de Castro, nesta quinta-feira (6). A audiência foi presidida e proposta pela senadora Ana Amélia (PP-RS).

Uma das propostas, sugeridas por Ana Amélia, é a destinação de parte da emenda da CRA ao Orçamento do próximo ano para o Censo. A outra, apresentada pelo senador Waldemir Moka (PMDB-MS), é levar à Casa Civil e à área econômica do governo a posição dos senadores quanto à relevância em garantir recursos para esse inadiável levantamento. 

— O Censo Agropecuário é fundamental para definição de políticas de planejamento, de crédito, de infraestrutura, na área social, questões climáticas ao setor que hoje sustenta a economia brasileira — disse a senadora Ana Amélia, presidente da CRA.

O presidente do IBGE explicou que o último censo agropecuário foi feito em 2006. Os dados deveriam ter sido atualizados depois de cinco anos, mas a contagem prevista para 2011 não foi realizada. Um novo levantamento estava programado para o próximo ano, mas foi cancelado devido a cortes de recursos determinados pela equipe econômica do governo.

— Além de ser uma atitude contra a lei não realizar o censo, é civilizatório fazer um censo, para manter a sociedade informada de tudo o que ocorre — frisou, ao pedir aos senadores que o ajudem a convencer o presidente Michel Temer a manter a execução do levantamento.

Senadores garantem empenho para viabilizar Censo Agropecuário

Custos

Conforme o presidente do IBGE, a realização do censo agropecuário demandará um investimento de cerca de R$ 1,15 bilhão. Desse total, R$ 850 milhões serão destinados à contratação de 82 mil servidores temporários, dos quais 62 mil serão recenseadores, que recebem por produção.

Para despesas com locomoção, treinamentos e processamento de dados, completou, serão necessários outros R$ 300 milhões. Munidos de tablets, os recenseadores visitarão 5,3 milhões de estabelecimentos rurais. Cada produtor rural responderá a um questionário desenvolvido em 284 telas, o qual, se impresso, teria 24 páginas e 49 quadros.

— O Brasil terá todo o seu território mapeado, reunindo informações sobre o que se utiliza como área urbana, como produção agropecuária, área indígena e como área verde, conservada e a se conservar — explicou.

Depois de produzidos, os dados do censo são utilizados por institutos de pesquisa, universidades, instituições bancárias que financiam o campo, pelo mercado e para orientar as políticas públicas direcionadas ao setor.

Críticas

Paulo Rabello criticou o governo da ex-presidente Dilma Rousseff pela não realização do censo agropecuário em 2011.

— Naquele momento, com superávit primário e com relativa folga fiscal, a administração federal anterior, sem justificativa, omitiu o censo e o IBGE teve que se resignar a esperar pelo novo quinquênio. Por que a administração anterior ‘pedalou’ o censo? — questionou o economista.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

9 de nov
Farsul e Federarroz entregam demandas ao ministro da Agricultura
O presidente da Federarroz, Henrique Dornelles, e o vice-presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Ferreira, apresentaram ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, demandas do setor para equiparar os custos de produção no Brasil, aos dos países do Mercosul.…

8 de nov
Senadora garante apoio à demanda dos produtores brasileiros de cebola
A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) vai solicitar o apoio dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e da Agricultura, Blairo Maggi, ao pedido da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (ANACE) para aumentar de 10% para 35%…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail