Senadores cobram de Rodrigo Maia acordo sobre mudanças na reforma trabalhista

12 de jul - Geral


Para Ana Amélia, posicionamento do presidente da Câmara não condiz com o papel institucional

Senadores cobram de Rodrigo Maia acordo sobre mudanças na reforma trabalhista

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (12) que a Casa não vai aceitar mudanças na reforma trabalhista, aprovada na terça-feira no Senado. A declaração foi feita pelo Twitter, pouco depois da 0h. O governo havia se comprometido a editar uma medida provisória (MP) para fazer alterações no texto que atendam a mudanças defendidas pelos senadores.

Na rede social, o democrata disse:  “A Câmara não aceitará nenhuma mudança na lei. Qualquer MP não será reconhecida pela Casa”. A senadora Ana Amélia (PP-RS) reprovou declaração do presidente da Câmara.

— É lamentável essa declaração do presidente da Câmara. Não está de acordo com seu papel e com sua função. Essa não é uma declaração de pacificação, sobretudo neste momento de crise que estamos vivendo — afirmou.

Na abertura da reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) destinada à sabatina de Raquel Dodge, indicada à Procuradoria-Geral da República, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) pediu que o presidente da CCJ, Edison Lobão (PMDB-MA), envie representação à Presidência da Câmara, comunicando o acordo firmado entre o Executivo e o Legislativo para aprovar sem mudanças o texto da Câmara, desde que fossem vetados alguns dispositivos polêmicos que seriam alterados posteriormente por medida provisória. Lobão informou que encaminhará à Câmara cópia do expediente informando sobre os entendimentos.

Simone Tebet (PMDB-MS) disse “lamentar o pronunciamento infeliz” de Maia, que, segundo ela, “não tem poder de barrar qualquer acordo firmado entre o governo e a base aliada”. Lasier Martins (PSD-RS), por sua vez, afirmou que Maia, “como aspirante à Presidência da República, já se propõe como ditador”. 

Já Armando Monteiro (PTB-PE) declarou que a manifestação se parece mais de alguém que já se via na cadeira do presidente da República do que propriamente do presidente da Câmara. Jorge Viana (PT-RJ) considerou que Maia "desmoralizou o Senado" ao se pronunciar "pelo Twitter, como Donald Trump". O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) também criticou a declaração de Maia e exortou o Senado a “reagir fortemente”.

- Do contrário, nós teríamos votado as modificações e a matéria retornaria à Câmara. 

O relator da reforma nas comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Assuntos Sociais (CAS), senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), considerou a declaração de Maia “fora do tom e fora do contexto".

- Até porque somos convergentes na direção das reformas. Mas acredito que essa manifestação fora do tom, será sucedida pelo diálogo e convergência - opinou.

O presidente do Senado, senador Eunício Oliveira, disse que cabe ao líder do Governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), honrar o compromisso de promover mudanças na reforma trabalhista. O presidente preferiu não comentar as declarações de Rodrigo Maia.


Fonte: Assessoria de Imprensa


Senadores vão ao Conselho de Ética contra ocupação do Plenário


Mais notícias:

22 de set
Ana Amélia lidera ranking que avalia desempenho dos políticos
A senadora gaúcha Ana Amélia (PP-RS) é a parlamentar melhor avaliada entre todos os 594 congressistas no levantamento feito pelo site Ranking Políticos. Os idealizadores do site monitoram a atividade legislativa federal com o objetivo de divulgar para a sociedade quais os políticos mais…

21 de set
Em discurso na tribuna nesta terça-feira (19), a senadora Ana Amélia respondeu aos discursos de parlamentares do PT que questionaram quem votou favorável ao impeachment em relação à crise no país. A senadora gaúcha reafirmou que não se arrepende…

Para Ana Amélia, oposição espalha mentira sobre privatizações
A oposição insiste em repetir mentiras até que se tornem verdades. A afirmação foi feita pela senadora Ana Amélia, nesta quinta-feira (21), em discurso na tribuna. De acordo com a parlamentar gaúcha, a tragédia da Oi não pode ser usada para inviabilizar concessões temporárias à…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail