Senadora sugere suspensão temporária dos trabalhos do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita

30 de out - Relações Exteriores


Presidente do grupo avalia como "grave" o assassinato de jornalista saudita em consulado na Turquia

Senadora sugere suspensão temporária dos trabalhos do Grupo Parlamentar Brasil-Arabia Saudita

A presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Reino da Arábia Saudita, senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), recomendou nesta terça-feira (30), durante reunião deliberativa da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), a suspensão temporária dos trabalhos do grupo por causa da morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi, no consulado do Reino da Arábia Saudita, em Istanbul, na Turquia. Após versões desencontradas sobre o desaparecimento do comentarista, exilado nos EUA e crítico da monarquia saudita, a Procuradoria de Istambul concluiu que o jornalista foi estrangulado pouco depois de entrar no consulado da Arábia Saudita na cidade, no dia 2 de outubro. Segundo informações das agências internacionais, o órgão confirmou que a vítima teve o corpo desmembrado como parte de um plano "premeditado" de homicídio. Foi a primeira vez que autoridades turcas descreveram como a morte do jornalista ocorreu, embora detalhes da investigação tivessem sido vazados antes para a imprensa local e estrangeira. Para a parlamentar, o episódio é "grave". A vítima atuava no  jornal Washington Post e abordava questões de política internacional, inclusive sobre o Oriente Médio.

– Pondero aqui a condição, como jornalista que fui durante tantas décadas, de ter como zelo principal um valor que é a liberdade de expressão – disse.

Na avaliação da senadora, a morte desse comentarista, no consulado da Arábia Saudita, em Istambul, na Turquia, é um episódio grave que desrespeita tanto os regramentos básicos dos direitos humanos quanto os preceitos essenciais à democracia, como a liberdade de opinião.

Representantes de vários governos e grandes companhias estrangeiras boicotaram recentemente o fórum econômico Future Investment Initiative, promovido pelo príncipe-herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e grandes empresas de mídia, como o The Economist, New York Times e Financial Times também se posicionaram contrários ao assassinato do jornalista. Alguns países adotaram medidas no âmbito comercial. A Alemanha, por exemplo, interrompeu a exportação de armas para a Arábia Saudita, por causa do ocorrido. 

– Seria prudente aguardar as conclusões desse episódio para retomarmos, no âmbito da diplomacia parlamentar, os trabalhos essenciais ao fortalecimento dos laços comerciais que unem o Reino da Arábia Saudita e o Brasil – concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

12 de out
Senado aprova acordo internacional para cooperação contra o crime organizado no Mercosul
Os senadores aprovaram nesta quarta-feira (17) o projeto de decreto legislativo (PDS 104/2018), de relatoria da senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), que confirma o texto do acordo de cooperação entre os países membros e associados do Mercosul para a criação de equipes…

8 de ago
Senado aprova acordos internacionais sobre presos
O Senado aprovou nesta quarta-feira (8) três tratados sobre prisão, entrega e transferência de presos. Um dos acordos foi firmado por países membros do Mercosul e determina procedimentos de prisão e entrega de pessoas procuradas por crimes, tanto para que sejam processadas, quanto para a execução da pena.…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail