Senadora prestigia posse da primeira mulher a ocupar a presidência da Federasul em 88 anos

16/05/2016 - Economia


Senadora prestigia posse da primeira mulher a ocupar a presidência da Federasul em 88 anos

Primeira mulher a ocupar a presidência em 88 anos de história da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), a empresária Simone Leite tomou posse no cargo nesta segunda-feira (16). A senadora Ana Amélia (PP-RS) participou da cerimônia que reuniu autoridades políticas e lideranças no Palácio do Comércio, em Porto Alegre.

Em sua fala, Simone Leite disse que a entidade vai à luta contra qualquer aumento de carga tributária. A nova presidente reafirmou que acredita no livre comércio como mola propulsora do desenvolvimento, salientando que é a favor de mais liberdade nas relações trabalhistas para ampliar a formalidade e deixar mais renda no bolso do trabalhador.

Senadora prestigia posse da primeira mulher a ocupar a presidência da Federasul em 88 anos

Já a senadora Ana Amélia, em seu pronunciamento, além de desejar êxito à nova gestão, renovou sua posição contrária à recriação da CPMF. Reiterou que continuará atuando em defesa da reforma do Pacto Federativo. A parlamentar ainda comentou o processo de impeachment no Senado, onde votou a favor da admissibilidade, e disse que nenhum líder estrangeiro irá influenciar o voto dos senadores.

Senadora prestigia posse da primeira mulher a ocupar a presidência da Federasul em 88 anos



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa



Mais notícias:

1 de nov
Senado aprova projeto para desenvolvimento da metade sul do Rio Grande do Sul
O Senado aprovou, nesta quarta-feira (31), por unanimidade — 53 votos favoráveis — o projeto que autoriza a criação de uma região integrada para o desenvolvimento da Metade Sul do Rio Grande do Sul. A ideia é definir…

10 de ago
Ana Amélia é contra aumento de salário para ministros e parlamentares
A decisão tomada pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal de conceder reajuste em seus próprios vencimentos, a partir do ano que vem, em 16,38%, "é inoportuna e provoca um preocupante efeito-cascata nas despesas públicas. O alerta foi feito…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail