Regulamentação de direitos dos trabalhadores domésticos deve ser votada no dia 5

28/04/2015 - Geral


Senadora Ana Amélia é a relatora do substitutivo que define as regras para a Emenda Constitucional 72/2013

Regulamentação de direitos dos trabalhadores domésticos deve ser votada no dia 5

O Senado deve votar em regime de urgência, na próxima terça-feira (5), o substitutivo da Câmara ao projeto de lei que regulamenta a Emenda Constitucional (EC) 72/2013, que concedeu mais direitos aos trabalhadores domésticos. A senadora Ana Amélia é a relatora do SCD 5/2015 e apresentará o parecer no plenário.

Na quarta-feira (29), a parlamentar gaúcha recebeu a visita da presidente da Federação dos Trabalhadores Domésticos da Região Amazônica (Fetradoram), Lucileide M. Reis, e da presidente da Associação Brasiliense das Empregadas Domésticas, Trabalhadoras e Trabalhadores do Lar do Distrito Federal e do Entorno (Asbrale-DF), Samara da Silva Nunes. Na conversa, Ana Amélia ouviu ponderações sobre a regulamentação da Emenda Constitucional.

De acordo com o texto aprovado na Câmara, a remuneração da hora extra do trabalhador doméstico será, no mínimo, 50% superior ao valor da hora normal. Se houver um acordo, a empregada poderá trabalhar duas horas a mais por dia. A hora trabalhada a mais pode ser compensada com folgas ou redução de jornada, se patrão e empregada concordarem. Esse pagamento, contudo, deve acontecer em até três meses. Se isso não ocorrer, o empregador terá de pagar o valor da hora adicional mais 50%.

Também torna-se obrigatória a inscrição do empregado doméstico no FGTS com as mesmas regras dos demais trabalhadores, entre elas, o depósito de 8% sobre a remuneração mensal pelo empregador. Os domésticos têm direito a, no máximo, duas horas de almoço. Em caso de entendimento, o intervalo pode ser reduzido a meia hora, mas apenas se a jornada for compensada no mesmo dia. Assim, quem optar por esses 30 minutos, poderá trabalhar sete horas e meia. Quando a jornada for de seis horas diárias, será obrigatório um descanso de 15 minutos depois da quarta hora. A proposta de regulamentação traz ainda a possibilidade de um regime de trabalho de 12 horas seguidas, com 36 horas de descanso. 

Há dois anos a EC 72/2013 foi promulgada pelo Congresso Nacional e, neste período, os trabalhadores domésticos ainda não puderam aproveitar todos os benefícios que lhes foram concedidos, como o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O projeto de lei do Senado (PLS) 224/2013 foi aprovado em julho de 2013, três meses depois de promulgada a emenda constitucional. O projeto seguiu, então, para a Câmara, que, somente em março último, terminou de analisar o tema, devolvendo ao Senado um substitutivo.

Considera-se empregado doméstico o profissional que presta serviço em residências ou nos prolongamentos das residências por mais de dois dias por semana. A tarefa é proibida a menores de 18 anos e a jornada, fixada em 44 horas semanais e 8 horas diárias.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

26 de mai
Na tribuna, Ana Amélia celebra os 84 anos do Jornal do Comércio
Os 84 anos do Jornal do Comércio, comemorados nesta quinta-feira (25), foram destacados pela senadora Ana Amélia (PP-RS) durante o seu pronunciamento na tribuna. O jornal é referência no noticiário de economia no Rio Grande do Sul, com cobertura diária dos…

25 de mai
“Democracia não é feita com violência”, afirma Ana Amélia
A senadora Ana Amélia (PP-RS) repudiou os atos de vandalismo na manifestação promovida pelas centrais sindicais em Brasília na quarta-feira (24). Em discurso na tribuna do Senado, a parlamentar gaúcha questionou quem vai arcar com a destruição nos ministérios. — Democracia não…

Encontro da Indústria da Construção debate o papel legislativo na recuperação da economia
"O Congresso não pode, por causa da crise, deixar de votar projetos que são importantes para o país, como insiste a oposição, que aposta no quanto pior, melhor". A frase foi dita pela senadora Ana Amélia (PP-RS) durante o painel…

Senadora assina pedido de CPI para investigar irregularidades envolvendo a JBS
A senadora Ana Amélia assinou o requerimento que pede a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar irregularidades envolvendo a empresa JBS e sua holding, a J&F, incluindo as operações financeiras com…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail