Parlamentares recorrem ao Conselho de Ética contra senadoras que ocuparam o Plenário

11 de jul - Geral


Grupo de senadores pede investigação por quebra de decoro

Senadores recorrem ao Conselho de Ética contra senadoras que ocuparam plenário

Um grupo de 16 parlamentares, entre eles a senadora Ana Amélia (PP-RS), ingressou com representação no Conselho de Ética do Senado contra as senadoras da oposição que ocuparam a mesa do Plenário da Casa nesta terça-feira (11). Por quase oito horas, elas impediram o início da votação da reforma trabalhista (PLC 38/2017).

O documento pede ao Conselho de Ética a instauração de procedimento para apurar se as senadoras quebraram o decoro parlamentar. Para Ana Amélia, a representação no conselho é uma maneira de deixar claro que não apoia o ato da oposição.

— Assinei a representação ao Conselho de Ética contra as responsáveis porque o ato foi desrespeitoso com a instituição a que pertencemos. Não assinar o documento seria apoiar o que aconteceu na mesa do Senado. Quem cala, consente — disse a senadora gaúcha.

Além da senadora Ana Amélia e do senador José Medeiros (PSD-MT), autor da representação, também assinaram o documento Cidinho Santos (PR-MT), Gladson Cameli (PP-AC), Eduardo Lopes (PRB-RJ), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Elmano Férrer (PMDB-PI), Wilder Morais (PP-GO), Cristovam Buarque (PPS-DF), Ciro Nogueira (PP-PI), Romário (PODE-RJ), Ataídes Oliveira (PSDB-TO), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Benedito de Lira (PP-AL).

O ato das senadoras da oposição foi uma tentativa de impedir a votação da reforma trabalhista (PLC 38/2017). A manifestação foi classificada como inadmissível e um atentado à democracia por parte do parlamento. Cerca de uma hora depois de iniciada a sessão, as parlamentares da oposição se recusaram a dar lugar ao presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE), que suspendeu os trabalhos.

O ato, na opinião da parlamentar gaúcha, confirma que o PT não respeita a democracia. Segundo a parlamentar gaúcha, a “ocupação” do Plenário do Senado foi uma vergonha.

—Tentaram ganhar na força e não pelo argumento, transformando a Casa em um Congresso Bolivariano. Essa é a democracia do PT e seus aliados — disse. 

Senadores recorrem ao Conselho de Ética contra senadoras que ocuparam plenário


Fonte: Assessoria de Imprensa


Por 8 horas, o Senado foi transformado num "Congresso Bolivariano"


Mais notícias:

9 de nov
“Criminosos que destruíram fazenda na Bahia têm que responder pelos 100 desempregados”, defende Ana Amélia
A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) leu nesta quinta-feira (9), no Plenário do Senado, uma carta que recebeu de Rogério Aranibar, funcionário do grupo Igarashi cuja planta, em Correntina, no Oeste da Bahia, foi destruída por criminosos…

8 de nov
Congresso derruba um veto de Temer e mantém outros três
O Congresso rejeitou nesta quarta-feira (8) o veto do presidente Michel Temer a uma lei que convalida incentivos concedidos a empresas pelos governos estaduais. Outros três vetos foram mantidos pelos parlamentares, e cinco serão votados em nova sessão conjunta, marcada para dia 22…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail