Nova meta fiscal será votada na terça

19/05/2016 - Geral


Ministro do Planejamento, Romero Jucá, esteve reunido com senadores nesta quinta-feira

Nova meta fiscal será votada na terça

O Congresso Nacional fará sessão na terça-feira (24) para votar a nova meta fiscal do governo para 2016, segundo anunciou o presidente do Senado, Renan Calheiros, após reunião com o ministro do Planejamento, Romero Jucá.

O governo estima que o deficit fiscal pode ultrapassar o montante de R$ 200 bilhões, mas a conta será fechada na sexta-feira (21) e entregue ao Congresso na segunda-feira (23).

— Nós vamos fazer um esforço para, na terça-feira, votarmos a redução da meta. Esperamos receber na segunda-feira e reunir os líderes para conseguirmos rapidamente isso — disse Renan.

Ainda no dia da votação que afastou a presidente Dilma Rousseff, Jucá informou que poderia ser necessário revisar a meta fiscal além do valor enviado pelo governo Dilma ao Congresso, de um déficit de R$ 96 bilhões. Conforme o ministro do Planejamento, o atual governo não vai repetir o anterior, que, segundo ele, "maquiava os números".

— Uma das críticas que eu fazia ao governo que saiu era exatamente essa maquiagem de números. A primeira posição para se resolver o problema é reconhecer a verdade. E a verdade dos números será apresentada ao País na próxima segunda-feira — frisou.

Alguns pontos da nova meta fiscal que ainda não foram fechados, de acordo com Jucá, se referem ao balanço da Eletrobras e à negociação das dívidas da União com os estados.

Presente na reunião, a senadora Ana Amélia (PP-RS) destacou o posicionamento do ministro em relação ao pedido de governadores de carência de um ano para o pagamento da dívida. Segundo ele, o governo está examinando o pedido com atenção e a pauta está encaminhada.

O ministro do Planejamento também pediu o apoio do Congresso para a votação de outros projetos considerados importantes pela equipe econômica do novo governo como a Desvinculação das Receitas da União (DRU).

— É importante aprovar a desvinculação, é uma medida emergencial. Nós vamos depois discutir uma modelagem mais permanente. Isso virá também dentro das novas medidas econômicas para melhorar o investimento e racionalizar os gastos públicos — apontou.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

17 de out
Ana Amélia votou para manter senador mineiro afastado do mandato
A senadora Ana Amélia (PP-RS) afirmou que votou favoravelmente à decisão do Supremo Tribunal Federal e pela manutenção das medidas cautelares adotadas contra o senador afastado Aécio Neves. Em discurso na tribuna, a parlamentar destacou que votou “sim”  pela consciência, coerência e valores…

16 de out
Ana Amélia defende transparência na votação do afastamento de senador
A senadora Ana Amélia (PP-RS) afirmou que não pode usar uma “régua moral diferente” para votar casos envolvendo parlamentares. Por isso, ela defende votação aberta no Plenário na decisão sobre o afastamento do senador Aécio Neves.Segundo a senadora, todas as votações devem ser…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail