MP 774 é aprovada na comissão mista e mantém desoneração para setores importantes da economia gaúcha

5 de jul - Economia


Emendas contemplando setores coureiro-calçadista, têxtil e de TI foram apresentadas pela senadora Ana Amélia

MP 774 é aprovada na comissão mista e mantém desoneração para setores importantes da economia gaúcha

A Comissão Mista do Congresso Nacional que examina a medida provisória 774/17 concluiu nesta quarta-feira (5) a votação da proposta. A MP reonera a folha de pagamento das empresas de cerca de 50 setores da economia. 

No entanto, a senadora Ana Amélia (PP-RS), titular da comissão, conseguiu a aprovação de emendas de sua autoria para evitar a reoneração de alguns setores importantes para a economia gaúcha.

As emendas da parlamentar garantiram a manutenção da desoneração aos setores coureiro-calçadista, têxtil e de tecnologia da informação e foram acatadas pelo relator, senador Airton Sandoval (PMDB-SP)
— São setores importantes para a economia brasileira e grandes empregadores de mão de obra — argumentou a senadora Ana Amélia.

Os setores de call center, circuitos integrados, empresas estratégicas de defesa, transporte rodoviário de cargas, fabricantes de ônibus e carrocerias de ônibus e de máquinas e equipamentos industriais e agropecuários também ficaram de fora da reoneração e manterão o benefício.

Agora, a MP terá de ser votada nos plenários da Câmara, o que está previsto para a próxima semana, e do Senado.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

20 de set
PEC da senadora pode servir como base no debate sobre compensação aos Estados em função da Lei Kandir
A PEC 22/2014, de autoria da senadora Ana Amélia (PP-RS), que prevê a troca do pagamento da dívida dos Estados com os créditos fiscais das exportações, decorrentes da Lei Kandir, conta com o…

14 de set
Ana Amélia: aparelhamento político provocou estrago no patrimônio dos trabalhadores da Petrobras
Em discurso na tribuna nesta quarta-feira (13), a senadora Ana Amélia falou sobre o rombo no Petros, fundo de pensão dos funcionários e aposentados da Petrobras, que foi administrado pelo PT, de R$ 14 bilhões. — O aparelhamento político fez…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail