Ministério irá criar grupo para debater regras trabalhistas para o setor de Tecnologia da Informação

08/07/2015 - Economia


Senadora Ana Amélia acompanhou presidente da Assespro-RS, Letícia Bastistela, em reunião com o ministro Manoel Dias

Ministério do Trabalho irá criar grupo para debater regras trabalhistas para o setor de TI

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse nesta quarta-feira (8), que irá criar um grupo para examinar a natureza da atividade de Tecnologia da Informação, que é diferente das atividades econômicas e industriais do País e, conforme explicou a presidente da representação gaúcha da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia de Informação (Assespro-RS), Letícia Batistela,exige uma legislação específica. A senadora Ana Amélia (PP-RS) esteve na audiência e reforçou o pedido.

A produção de um software ou a prestação de um serviço de TI, explicou a presidente, se constitui da execução de diversas tarefas, distintas entre si, e altamente especializadas. Pelas diferenças características das etapas, como análise, projeto, implantação, suporte, entre outras, é natural que existam empresas especializadas em cada uma das fases. Por isso, a categoria espera que as regras trabalhistas para o segmento estejam em sintonia com essas características.

A decisão do ministro em criar um grupo de trabalho e dialogar com o setor foi considerada “fantástica” pela presidente da Assespro-RS. Os profissionais desta área no Brasil, lembrou ela durante o encontro, estão entre os que mais criam aplicativos para smartphones.

A criatividade dos brasileiros tem chamado a atenção de vários países, que “importam” os profissionais com ofertas tentadoras. Atento ao setor, o ministro Manoel Dias fez essa observação durante a reunião ao contar que Santa Catarina, seu Estado de origem, é um dos polos tecnológicos do país e em visita recente ouviu relatos de que países como a França, o Canadá, a Alemanha e até outros da América do Sul fazem convites aos brasileiros.

O fato de que o setor de TI, além da agricultura, por exemplo, são áreas que apresentam resultados positivos no faturamento e na geração de emprego no País, levantada pela assessoria do ministro, foi destacado pela senadora no fim do encontro. Ana Amélia também ressaltou a importância da imediata resposta dada pelo ministro ao pedido das entidades do setor.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

14 de set
Ana Amélia: aparelhamento político provocou estrago no patrimônio dos trabalhadores da Petrobras
Em discurso na tribuna nesta quarta-feira (13), a senadora Ana Amélia falou sobre o rombo no Petros, fundo de pensão dos funcionários e aposentados da Petrobras, que foi administrado pelo PT, de R$ 14 bilhões. — O aparelhamento político fez…

30 de ago
Comissão discute prejuízos causados pela Lei Kandir
A Comissão Mista Especial da Lei Kandir realizou audiência pública, nesta quarta-feira (30), para debater a regulamentação da Lei Complementar 87/1996, ainda pendente no Congresso, e os prejuízos enfrentados pelos estados atingidos pela desoneração tributária. Dados apresentados mostram que, em 2016, os estados brasileiros registraram…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail