Ministério irá criar grupo para debater regras trabalhistas para o setor de Tecnologia da Informação

08/07/2015 - Economia


Senadora Ana Amélia acompanhou presidente da Assespro-RS, Letícia Bastistela, em reunião com o ministro Manoel Dias

Ministério do Trabalho irá criar grupo para debater regras trabalhistas para o setor de TI

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse nesta quarta-feira (8), que irá criar um grupo para examinar a natureza da atividade de Tecnologia da Informação, que é diferente das atividades econômicas e industriais do País e, conforme explicou a presidente da representação gaúcha da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia de Informação (Assespro-RS), Letícia Batistela,exige uma legislação específica. A senadora Ana Amélia (PP-RS) esteve na audiência e reforçou o pedido.

A produção de um software ou a prestação de um serviço de TI, explicou a presidente, se constitui da execução de diversas tarefas, distintas entre si, e altamente especializadas. Pelas diferenças características das etapas, como análise, projeto, implantação, suporte, entre outras, é natural que existam empresas especializadas em cada uma das fases. Por isso, a categoria espera que as regras trabalhistas para o segmento estejam em sintonia com essas características.

A decisão do ministro em criar um grupo de trabalho e dialogar com o setor foi considerada “fantástica” pela presidente da Assespro-RS. Os profissionais desta área no Brasil, lembrou ela durante o encontro, estão entre os que mais criam aplicativos para smartphones.

A criatividade dos brasileiros tem chamado a atenção de vários países, que “importam” os profissionais com ofertas tentadoras. Atento ao setor, o ministro Manoel Dias fez essa observação durante a reunião ao contar que Santa Catarina, seu Estado de origem, é um dos polos tecnológicos do país e em visita recente ouviu relatos de que países como a França, o Canadá, a Alemanha e até outros da América do Sul fazem convites aos brasileiros.

O fato de que o setor de TI, além da agricultura, por exemplo, são áreas que apresentam resultados positivos no faturamento e na geração de emprego no País, levantada pela assessoria do ministro, foi destacado pela senadora no fim do encontro. Ana Amélia também ressaltou a importância da imediata resposta dada pelo ministro ao pedido das entidades do setor.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

11 de abr
Impactos de medidas ao setor calçadista serão debatidos em audiência no Senado
Preocupada com as consequências econômicas e sociais negativas para o setor calçadista brasileiro de uma possível redução do imposto de importação dos calçados esportivos, especialmente em relação à perda de empregos, a senadora Ana Amélia…

OCB lança Agenda Institucional 2018 de cooperativismo
A Agenda Institucional 2018 do Cooperativismo foi apresentada pela OCB nesta quarta-feira (11), pelo Sistema OCB, com propostas legislativas para alavancar o setor e garantir segurança jurídica aos cooperados. A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), vice-presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo esteve no evento e destacou compromisso…

3 de abr
Congresso derruba veto ao Refis das micros e pequenas empresas
O Congresso derrubou nesta terça-feira (3) o veto ao projeto que instituía o Refis para micros e pequenas empresas. O  programa de refinanciamento, permitido às empresas que optaram pelo Simples, regime simplificado de tributação, havia sido aprovado pelo Senado no final de 2017.…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail