Medida que acaba com o emplacamento de máquinas agrícolas segue para sanção presidencial

08/07/2015 - Agricultura


Com apoio da senadora Ana Amélia, MP foi aprovada pelo Senado nesta quarta-feira

Aprovada a medida que acaba com o emplacamento de máquinas agrícolas


A medida que acaba com a obrigatoriedade de emplacamento e licenciamento de tratores e outras máquinas agrícolas foi aprovado, nesta quarta-feira (8), pelo plenário do Senado. Presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), a senadora Ana Amélia (PP-RS) destacou a aprovação da Medida Provisória, que agora segue para sanção presidencial.

O Projeto de Lei de Conversão (PLV) 8/2015, decorrente da Medida Provisória (MP) 673/2015, também impede a cobrança futura de IPVA e outras taxas sobre o maquinário. Esses veículos passarão a ser cadastrados com registro único, sem qualquer cobrança de impostos ou taxas.

A medida é uma antiga reivindicação dos trabalhadores do campo, pois o emplacamento e o licenciamento aumentariam tributos.

— Dois setores seguram a economia do país: a área de tecnologia e a agropecuária. Não seria justo penalizar o agronegócio com mais um tributo — afirmou Ana Amélia, em plenário, destacando o trabalho dos relatores no Senado, Blairo Maggi (PR-MT), e na comissão mista que analisou a MP, deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA).

A parlamentar gaúcha lembrou do trabalho realizado desde 2013, quando foi publicada resolução que obrigaria o emplacamento de tratores e outras máquinas agrícolas. Na época, foi aprovado um projeto no Congresso Nacional, de autoria do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), e relatado no Senado pela senadora Ana Amélia (PP-RS). Porém, a iniciativa foi vetada pela Presidente da República, Dilma Rousseff. Diante disso, a pressão de senadores, deputados e lideranças do setor resultou na prorrogação da resolução, por duas vezes.

Outra iniciativa vetada pela Presidente foi a emenda à MP 656, apresentada pelo deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS). O Senado também aprovou recentemente outro projeto, de autoria de Blairo Maggi (PR-MT), com o mesmo objetivo. A pressão dos parlamentares e a iminente derrubada do veto presidencial na MP 656 resultaram em abril na edição da Medida Provisória, que foi aprovada nesta quarta-feira pelo Senado.

Outra iniciativa relevante que debateu o tema foi o ciclo de debates da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado (CRA), presidida pela senadora Ana Amélia, durante a programação da Expodireto-Cotrijal, em Não-Me-Toque. Na audiência, mais uma vez ficou claro o apelo dos produtores para que não entrasse em vigor a medida onerando o setor rural.

Senado

O relator da matéria, senador Blairo Maggi, informou que a exigência de registro será apenas para as máquinas agrícolas fabricadas a partir de 2016. Segundo o senador, a medida evita custos adicionais, além de evitar a burocracia de exigências “descabidas”, já que a maioria das máquinas agrícolas não transita em vias públicas.

— É uma medida relevante, uma vez que o emprego de máquinas agrícolas é fundamental para o aumento da atividade rural — afirmou o senador.

Vários senadores se pronunciaram de forma favorável à aprovação, entre eles o senador Acir Gurgacz (PDT-RO). Presidente da comissão mista que analisou a medida provisória, ele registrou o fato de o relatório ter sido aprovado sem nenhuma emenda na Câmara dos Deputados. Ele ainda destacou o fato de o “jerico” ter sido reconhecido como um trator.

— O 'jerico' é um híbrido entre a canga de um animal e um pequeno trator. Esse tipo de veículo é muito comum em algumas regiões do país. É um avanço o fato de o trabalhador rural poder usar o 'jerico' — afirmou Gurgacz.

Trânsito

A matéria também estende aos operadores de máquinas de construção ou de trator as mesmas regras definidas para a categoria dos motoristas profissionais – como direito a horas-extras, jornada máxima e período de descanso. Segundo Blairo Maggi, essa medida vai ajudar a resolver boa parte das dívidas trabalhistas dos fazendeiros e ajudar o tratorista a ter uma renda melhor, já que terá o direito reconhecido a hora-extra.

A MP traz ainda mudanças em regras do trânsito. Segundo o texto, dirigir na faixa exclusiva para transporte público coletivo passa de infração leve para gravíssima, com a apreensão do veículo. Igualmente passa a ser considerada infração gravíssima o transporte pirata de passageiros.

Aprovada medida que acaba com a obrigatoriedade do emplacamento de máquinas agrícolas


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

9 de nov
Farsul e Federarroz entregam demandas ao ministro da Agricultura
O presidente da Federarroz, Henrique Dornelles, e o vice-presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Ferreira, apresentaram ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, demandas do setor para equiparar os custos de produção no Brasil, aos dos países do Mercosul.…

8 de nov
Senadora garante apoio à demanda dos produtores brasileiros de cebola
A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) vai solicitar o apoio dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e da Agricultura, Blairo Maggi, ao pedido da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (ANACE) para aumentar de 10% para 35%…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail