“Governo prefere agradar aliados em vez de cortar gastos”, critica Ana Amélia

16/10/2015 - Economia


Senadora comentou o adiamento do corte de três mil cargos comissionados, conforme havia sido previsto na Reforma Administrativa

“Governo prefere agradar aliados em vez de cortar gastos”, critica Ana Amélia

O adiamento do corte de três mil cargos comissionados, por parte do governo federal, foi criticado pela senadora Ana Amélia (PP-RS). O anúncio havia ocorrido há menos de 15 dias e fazia parte da Reforma Administrativa, porém acabou suspenso, informou nesta quinta-feira (15) o jornal O Estado de S.Paulo.

Conforme informou o jornal “a ideia é esperar passar este momento de crise para desencadear a dispensa de pessoal. A avaliação é de que isso poderá abrir novo flanco de insatisfação da base parlamentar no Congresso, em um momento em que o governo busca evitar o impeachment da presidente Dilma Rousseff”.

Defensora do corte de gastos no governo federal, como cargos em excesso e cartões corporativos, a parlamentar gaúcha lamentou o adiamento em pleno momento de crise enfrentado pelo País.

— O governo prefere agradar aliados em vez de cortar gastos e reduzir o inchaço da máquina pública. A medida, neste momento de crise, desrespeita a sociedade — avaliou a senadora.

Segundo O Estado de S.Paulo, “ainda não há nova data fixada para a extinção dos cargos, tecnicamente chamados de Direção e Assessoramento Superior (DAS)”.

O jornal informa ainda que na avaliação dos assessores de Dilma, “seria temerário anunciar a demissão de possíveis afilhados de políticos que ocupam DAS quando o governo está justamente tentando reconstruir a sua base parlamentar”. Pelo anúncio inicial, o governo esperava economizar R$ 200 milhões com o corte de três mil dos 22,6 mil cargos comissionados, com a extinção de ministérios e de 30 secretarias.

“Governo prefere agradar aliados em vez de cortar gastos”, critica Ana Amélia



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

20 de set
PEC da senadora pode servir como base no debate sobre compensação aos Estados em função da Lei Kandir
A PEC 22/2014, de autoria da senadora Ana Amélia (PP-RS), que prevê a troca do pagamento da dívida dos Estados com os créditos fiscais das exportações, decorrentes da Lei Kandir, conta com o…

14 de set
Ana Amélia: aparelhamento político provocou estrago no patrimônio dos trabalhadores da Petrobras
Em discurso na tribuna nesta quarta-feira (13), a senadora Ana Amélia falou sobre o rombo no Petros, fundo de pensão dos funcionários e aposentados da Petrobras, que foi administrado pelo PT, de R$ 14 bilhões. — O aparelhamento político fez…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail