Governo precisa fazer o dever de casa, cobra Ana Amélia ao criticar aumento de gastos da Presidência

15/06/2015 - Economia


Despesas do Planalto entre janeiro e abril saltaram de R$ 1,6 bilhão no ano passado para R$ 2,2 bilhões em 2015

Ana Amélia critica aumento de gastos da Presidência e diz que governo precisa fazer o dever de casa

O aumento de gastos do governo federal, em especial da Presidência da República, nos primeiros meses de 2015, foi criticado pela senadora Ana Amélia (PP-RS) em discurso na tribuna nesta segunda-feira (15). A parlamentar lembrou que o governo transfere para a sociedade o desajuste das contas públicas, mas não dá exemplo de austeridade.

— Neste primeiro semestre, sabe quanto aumentaram as despesas, comparativamente ao mesmo período do ano passado? Quase 40%. E vou dar um dado muito singelo. Só com material gráfico, o governo, que gastou no primeiro semestre do ano passado, R$ 7,2 milhões, neste ano do ajuste, da dureza, do aperto, desembolsou R$ 31,2 milhões — disse.

Segundo os dados do governo federal, divulgados pela imprensa no final de semana, o Planalto gastou, entre janeiro e abril de 2014, R$ 1,6 bilhão com as despesas da administração geral e órgãos e secretarias vinculadas à Presidência. No mesmo período deste ano, os valores chegaram a R$ 2,2 bilhões.

— Se a conta fosse o contrário, eu estaria aqui para aplaudir. Mas aumentar 334% em gastos com gráfica, não tem condições de aceitarmos. E o governo continua insistindo como se nada acontecesse. São 39 ministérios. Nos cartões corporativos, os gastos continuam aumentando. Dessa forma, não é possível chegar e pedir sacrifícios a quem trabalha — completou.

Ana Amélia critica aumento de gastos da Presidência e diz que governo precisa fazer o dever de casa




Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Ana Amélia critica aumento de gastos da Presidência e diz que governo precisa fazer o dever de casa


Mais notícias:

25 de mai
Artigo no jornal NH: Ameaça ao setor calçadista
Em artigo no jornal NH, a senadora Ana Amélia alertou que a redução no imposto de importação para calçados esportivos trará impactos sociais e econômicos negativos, entre eles o desemprego nesse dinâmico setor.https://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2018/05/noticias/opiniao/2271086-ameaca-ao-setor-calcadista.html

24 de mai
Novo presidente do Sescon-RS apresenta estudos sobre dívida pública e Imposto de Renda
O novo presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski, entregou para a  senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) nesta quinta-feira(24), dois estudos produzidos pela PUC/RS em parceria com o sindicato. Um deles trata da evolução da dívida pública e a importância do controle de…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail