Diza Gonzaga é homenageada com o diploma Bertha Lutz no Senado

8 de mar - Geral


Idealizadora da Fundação Thiago Moraes Gonzaga foi agraciada por indicação da senadora Ana Amélia

Diza Gonzaga é homenageada com o diploma Bertha Lutz no Senado

Idealizadora da Fundação Thiago Moraes Gonzaga, a gaúcha Diza Gonzaga foi uma das cinco agraciadas da 16ª edição do Prêmio Bertha Lutz. O diploma foi entregue, nesta quarta-feira (8), em cerimônia no Senado Federal. Ela foi indicada pela senadora Ana Amélia (PP-RS). A premiação é destinada a mulheres e homens que tenham oferecido contribuição relevante à defesa dos direitos da mulher e questões do gênero no Brasil, em qualquer área de atuação.

Gaúcha e arquiteta, Diza Gonzaga mudou totalmente sua vida depois da perda de seu filho de 18 anos, Thiago de Moraes, em um acidente de carro. Junto com o marido Régis, Diza criou a Fundação com o intuito de desenvolver programas educativos, culturais e informativos direcionados a crianças, adolescentes, jovens e adultos para promover a humanização no trânsito. 

A instituição é responsável pelo programa "Vida Urgente", que possui um conjunto de campanhas e ações que visam promover a preservação e valorização da vida, mobilizando a sociedade através de ações para uma mudança de comportamento que resulte em um trânsito mais humano e seguro. O trabalho rendeu prêmios e reconhecimento internacional.

— É um justo reconhecimento ao exemplar trabalho desenvolvido há mais de 20 anos — disse a senadora.

Diza comemorou a homenagem pela visibilidade que dá ao tema dos acidentes de trânsito que são, segundo ela, a maior causa de mortes de jovens no Brasil. A presidente da Fundação Thiago Gonzaga lembrou também que ainda há muito preconceito com mulheres no trânsito, enquanto os números, na verdade, mostram que quase 90% dos acidentes graves tinham homens na direção.

— O trânsito não é um problema apenas das polícias ou das secretarias de segurança, mas sim de toda a sociedade — defende Diza.

As outras homenageadas foram Denice Santiago Santos do Rosário, major da Polícia Militar da Bahia, comandante da Ronda Maria da Penha – dedicada à prevenção da violência contra a mulher; Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert, embaixadora do Brasil na República da Sérvia; Raimunda Luzia de Brito, professora universitária e ex-presidente do Coletivo de Mulheres Negras do Mato Grosso; e a jornalista e escritora Tati Bernardi, conhecida por falar de forma corajosa, divertida e contundente sobre relacionamentos, mercado de trabalho, política e feminismo.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Diza Gonzaga é agraciada com o prêmio Bertha Lutz


Mais notícias:

Hoje
Ana Amélia defende direito dos trabalhadores e anuncia voto a favor do fim do imposto sindical obrigatório
A senadora Ana Amélia (PP-RS) ignorou o "dia de greve" e foi ao Senado para participar da sessão desta sexta-feira (28). Na tribuna, a parlamentar afirmou que greves são legítimas, mas defendeu, especialmente, o direito de…

26 de abr
Ana Amélia vota contra projeto de abuso de autoridade e a favor da PEC que acaba com foro privilegiado
A senadora Ana Amélia (PP-RS) votou contra o projeto de lei (PLS 280/2016) que trata do abuso de autoridade e a favor da proposta (PEC 10/2013) que acaba com o foro privilegiado. As matérias…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail