Desemprego é a pior consequência da política econômica do governo, diz Ana Amélia

31/03/2016 - Economia


Senadora destacou mensagens que recebeu de pessoas de todo o Brasil relatando os efeitos da crise

Desemprego é a pior consequência da política econômica do governo, diz Ana Amélia


 A pior consequência da política econômica equivocada mantida pelo governo federal é o desemprego, afirmou a senadora Ana Amélia (PP-RS) ao comentar a crise econômica que afeta todas as regiões do Brasil 

Ela acredita ser essa uma das razões por que, em pesquisa do Ibope com trabalhadores que recebem até um salário mínimo, 62% dos entrevistados consideraram o governo ruim ou péssimo.

— São trabalhadores que ganham até um salário, não é a elite — observou Ana Amélia.

Para a senadora, também são graves os problemas vividos pelo país que fazem o brasileiro estar atento ao que está acontecendo no Congresso Nacional. A senadora leu, inclusive, mensagens que recebeu de várias partes do país comentando a situação de crise e observou que o brasileiro não pode continuar vivendo na incerteza.

— Temos que, de uma vez por todas, tomar uma decisão. O país não pode mais viver nesta incerteza, esta dúvida sobre o amanhã. Não há perspectivas. E é esse o grande dilema que temos hoje. Por isso, temos que apressar a deliberação a respeito de impeachment porque, pelo menos, vai se saber:  bem ou mal, vai se dar um ponto final a este processo.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Desemprego é a pior consequência da política econômica do governo


Mais notícias:

1 de nov
Senado aprova projeto para desenvolvimento da metade sul do Rio Grande do Sul
O Senado aprovou, nesta quarta-feira (31), por unanimidade — 53 votos favoráveis — o projeto que autoriza a criação de uma região integrada para o desenvolvimento da Metade Sul do Rio Grande do Sul. A ideia é definir…

10 de ago
Ana Amélia é contra aumento de salário para ministros e parlamentares
A decisão tomada pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal de conceder reajuste em seus próprios vencimentos, a partir do ano que vem, em 16,38%, "é inoportuna e provoca um preocupante efeito-cascata nas despesas públicas. O alerta foi feito…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail