Desemprego é a consequência mais perversa da crise, aponta Ana Amélia

24/02/2016 - Economia


Pesquisa da CNT revelou que 53,7% dos trabalhadores temem ficar desempregados com o desaquecimento da economia

Desemprego é a consequência mais perversa da crise, aponta Ana Amélia

O maior medo do brasileiro hoje é perder o emprego, disse em Plenário a senadora Ana Amélia (PP-RS). Ela mencionou pesquisa divulgada nesta quarta-feira (24) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), segundo a qual 53,7% dos entrevistados disseram temer ficar desempregados com o desaquecimento da economia.

Segundo a senadora, apenas na região metropolitana da capital gaúcha, Porto Alegre, o desemprego chegou a 9,7% em janeiro, um aumento de 60% em relação a janeiro do ano passado. Na região, 180 mil trabalhadores estão desempregados, contra os 108 mil de janeiro de 2015, comentou Ana Amélia.

Ela informou ainda que, na pesquisa da CNT, 82,4% dos entrevistados conhecem alguém que ficou desempregado nos últimos 6 meses;  51,6% gostariam de abrir negócio próprio; 88 % deixaram de pagar alguma conta entre 2015 e 2016, e 59,3% adiaram alguma compra ou aquisição de serviço por causa da crise.

— Esse adiamento reflete também o desaquecimento. O comércio vende menos, a indústria produz menos e o desemprego aumenta na medida desse desaquecimento. Ou seja, a crise econômica, a perversidade dela é  deixar um trabalhador sem poder em casa com a tranquilidade de que os filhos terão comida.

Rebaixamento

Ana Amélia também lamentou que a agência Moody’s tenha rebaixado a nota de risco dos investimentos no Brasil, retirando do país a avaliação de bom pagador.

— Isso revela uma preocupação do mundo e dos investidores internacionais com a situação interna do Brasil — afirmou a senadora.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Desemprego é a consequência mais perversa da crise, alerta Ana Amélia


Mais notícias:

25 de mai
Artigo no jornal NH: Ameaça ao setor calçadista
Em artigo no jornal NH, a senadora Ana Amélia alertou que a redução no imposto de importação para calçados esportivos trará impactos sociais e econômicos negativos, entre eles o desemprego nesse dinâmico setor.https://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2018/05/noticias/opiniao/2271086-ameaca-ao-setor-calcadista.html

24 de mai
Novo presidente do Sescon-RS apresenta estudos sobre dívida pública e Imposto de Renda
O novo presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski, entregou para a  senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) nesta quinta-feira(24), dois estudos produzidos pela PUC/RS em parceria com o sindicato. Um deles trata da evolução da dívida pública e a importância do controle de…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail