Defesa do trabalhismo e da democracia marcam homenagem do Congresso a Vargas

25/08/2015 - Geral


Senadora Ana Amélia participou de parte da sessão realizada nesta terça-feira

Defesa do trabalhismo e da democracia marcam homenagem do Congresso a Vargas

Comparações entre os momentos de crise política enfrentados hoje e no último governo de Getúlio Vargas (1951-1954) marcaram, nesta terça-feira (25), a sessão solene do Congresso Nacional em memória dos 61 anos da morte de Vargas. O clamor foi pela união das forças democráticas em torno do legado de conquistas sociais deixado por Vargas , especialmente na área trabalhista.

— Ele criou a Justiça do Trabalho, o salário mínimo, a CLT [Consolidação das Leis do Trabalho]. Hoje é dia de incorporar o espírito de brasilidade de nosso estadista Getúlio Vargas – defendeu o senador Telmário Mota (PDT-RR), que apresentou o requerimento de homenagem junto com o senador Elmano Férrer e o deputado federal Paes Landim, ambos do PTB do Piauí.

Enquanto Landim realçou a figura “modernizante e pragmática” encarnada pelo presidente Vargas, Elmano elogiou os avanços trabalhistas introduzidos em seu governo, destinados a “evitar abusos patronais”.

O senador Fernando Collor (PTB-AL) reagiu, por sua vez, contra a tentativa de flexibilização dos direitos trabalhistas.

— Acreditam que a precarização dos direitos sociais dos trabalhadores é necessária para alavancar a competitividade do Brasil no mercado internacional. Trata-se de proteção ao tipo de sociedade pluralista que sonhamos todos — afirmou Collor.

Para o ministro do Trabalho, Manoel Dias, a defesa da soberania nacional, da liberdade e da democracia foi a mensagem mais importante deixada por Vargas. A presidente nacional do PTB, a deputada federal Cristiane Brasil (RJ), creditou à coragem, lucidez, ao arraigado senso de responsabilidade e amor à pátria o fato de o ex-presidente nunca ter vacilado frente aos obstáculos surgidos em seu caminho.

Já o deputado federal Afonso Motta (PDT-RS) elogiou a visão de mundo aguçada de Vargas para inserir o país no cenário internacional. Em seguida, o deputado federal Davidson de Magalhães (PCdoB-BA) reivindicou o resgate de um projeto nacional de autonomia.

Na visão do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), é preciso zelar pelo legado em prol do trabalhismo deixado não só por Getúlio, mas também pelo ex-presidente João Goulart e por Leonel Brizola.

— Não tem proposta melhor de projeto para o Brasil do que o que está nas raízes do trabalhismo — sustentou Cristovam.

Ainda sobre a herança política deixada por Vargas, o senador Humberto Costa (PT-PE) a considerou inspiradora de todos os movimentos e partidos com preocupação social.

— Nesse momento político da nação, está na hora de juntar os verdadeiros democratas que não querem a repetição do que aconteceu no passado. Obrigada a todos os que lutam pela liberdade e a democracia — reforçou, na sequência, o ex-deputado João Vicente Goulart, filho do ex-presidente João Goulart, que dirige o instituto que leva o nome de seu pai.

Em meio ainda à homenagem do Congresso, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) lembrou ter nascido exatamente na data do primeiro aniversário de morte de Vargas. Já os senadores pelo Rio Grande do Sul Lasier Martins (PDT) e Ana Amélia (PP) eram crianças na ocasião e recordaram a comoção que tomou conta do estado natal de Vargas com a notícia de seu suicídio.

Ana Amélia lembrou que, conforme escreveu o próprio Vargas em sua carta-testamento, ele “saiu da vida para entrar na história” em 24 de agosto de 1954. Recordou que a data foi um dia muito triste para todos os gaúchos pelo simbolismo que “o estancieiro de São Borja mostrou ao Brasil e ao mundo do que era capaz”.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Sessão solene relembra os 61 anos da morte do ex presidente Getúlio Vargas


Mais notícias:

18 de ago
Em Nova Hartz, Ana Amélia recebe demandas do setor calçadista
Em roteiro no Vale dos Sinos nesta sexta-feira (18), a senadora Ana Amélia (PP-RS), esteve reunida em Nova Hartz com o prefeito, Flavio Jost, e representantes do setor calçadista que apresentaram os principais desafios enfrentados para empreender. A mais insistente demanda é que…

16 de ago
TRE-RS conclui estudo sobre o impacto do rezoneamento eleitoral no estado
O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS), desembargador Carlos Marchionatti, comunicou à senadora Ana Amélia (PP-RS), nesta quarta-feira (16), que foi concluído memorial detalhando como o rezoneamento previsto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) prejudicará os eleitores gaúchos…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail