Crise no setor de lácteos é debatida em audiência na Comissão de Agricultura do Senado

07/11/2017 - Agricultura


Ana Amélia aponta o câmbio flutuante, diferenças tributárias e a inexistência de cota de importação do leite como fatores da crise

Crise do leite é debatida em audiência na Comissão de Agricultura do Senado

De acordo com o Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em 2016, a importação de leite pelo brasil cresceu 80%. Essa alta fez com que a produção nacional caísse 918 milhões de litros. Ainda segundo os dados do MDIC, apresentados em audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado, nesta terça-feira (7), as importações de leite em pó do Uruguai superaram em 100% os números de 2015.

A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), que participou do debate, destacou que o câmbio flutuante, as diferenças tributárias e a inexistência de cota de importação do leite em pó uruguaio fizeram com que o preço do litro de leite, produzido no Brasil, pago ao produtor, tenha caído a R$ 0,83, na média.

— As relações com o Uruguai no âmbito do Mercosul têm que continuar isonômicas. É preciso lembrar que o Uruguai criou, unilateralmente, uma cota para o frango brasileiro sob alegação sanitária, mesmo sabendo que o Brasil exporta para mais de 160 países — disse.

A parlamentar gaúcha pediu ao MDIC e aos ministérios das Relações Exteriores (MRE) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que resolvam o impasse rapidamente para evitar que os impactos da mais grave crise do setor lácteo se expandam. Ana Amélia também sugeriu que o Brasil compre o estoque excedente de leite brasileiro para utilizar em programas sociais do governo e da Organização das Nações Unidas (ONU).

— Apenas no Rio Grande do Sul, que tem a segunda maior bacia leiteira do país, nos últimos dois anos, 19 mil famílias abandonaram as atividades do setor por causa da redução gradual da renda — afirmou.  

As importações no setor lácteo ganharam destaque em outubro deste ano quando o governo anunciou a suspensão temporária das licenças de importação de leite do Uruguai, um dos maiores fornecedores do Brasil. Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a medida valerá até que seja comprovado que todo o volume exportado ao território brasileiro é realmente produzido naquele país.

Durante audiência pública, que contou com a participação de representantes do MDIC, Mapa, MRE e da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), os membros da CRA definiram que vão pedir ao governo de federal a prorrogação das dívidas dos produtores de leite. 


Fonte: Assessoria de Imprensa


CRA debate crise do setor de lácteos


Mais notícias:

11/12/2018
Senado aprova novo limite para compra de leite de pequenos agricultores
O Plenário aprovou emenda da Câmara dos Deputados ao projeto que estabelece um novo limite de aquisição de leite no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo federal (ECD 1/2018). Conforme o texto aprovado, o limite mínimo passa a…

05/12/2018
Aprovada urgência para projeto que garante compra mínima de leite de agricultores familiares
O Plenário vota na próxima terça-feira (11) o projeto que obriga o governo federal a realizar compras mínimas de leite produzido por agricultores familiares. O texto em pauta assegura a aquisição de pelo menos 35 litros por dia. O autor…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail