Crise no setor de lácteos é debatida em audiência na Comissão de Agricultura do Senado

07/11/2017 - Agricultura


Ana Amélia aponta o câmbio flutuante, diferenças tributárias e a inexistência de cota de importação do leite como fatores da crise

Crise do leite é debatida em audiência na Comissão de Agricultura do Senado

De acordo com o Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em 2016, a importação de leite pelo brasil cresceu 80%. Essa alta fez com que a produção nacional caísse 918 milhões de litros. Ainda segundo os dados do MDIC, apresentados em audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado, nesta terça-feira (7), as importações de leite em pó do Uruguai superaram em 100% os números de 2015.

A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), que participou do debate, destacou que o câmbio flutuante, as diferenças tributárias e a inexistência de cota de importação do leite em pó uruguaio fizeram com que o preço do litro de leite, produzido no Brasil, pago ao produtor, tenha caído a R$ 0,83, na média.

— As relações com o Uruguai no âmbito do Mercosul têm que continuar isonômicas. É preciso lembrar que o Uruguai criou, unilateralmente, uma cota para o frango brasileiro sob alegação sanitária, mesmo sabendo que o Brasil exporta para mais de 160 países — disse.

A parlamentar gaúcha pediu ao MDIC e aos ministérios das Relações Exteriores (MRE) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que resolvam o impasse rapidamente para evitar que os impactos da mais grave crise do setor lácteo se expandam. Ana Amélia também sugeriu que o Brasil compre o estoque excedente de leite brasileiro para utilizar em programas sociais do governo e da Organização das Nações Unidas (ONU).

— Apenas no Rio Grande do Sul, que tem a segunda maior bacia leiteira do país, nos últimos dois anos, 19 mil famílias abandonaram as atividades do setor por causa da redução gradual da renda — afirmou.  

As importações no setor lácteo ganharam destaque em outubro deste ano quando o governo anunciou a suspensão temporária das licenças de importação de leite do Uruguai, um dos maiores fornecedores do Brasil. Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a medida valerá até que seja comprovado que todo o volume exportado ao território brasileiro é realmente produzido naquele país.

Durante audiência pública, que contou com a participação de representantes do MDIC, Mapa, MRE e da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), os membros da CRA definiram que vão pedir ao governo de federal a prorrogação das dívidas dos produtores de leite. 


Fonte: Assessoria de Imprensa


CRA debate crise do setor de lácteos


Mais notícias:

14 de ago
CNA apresenta projeto para impulsionar setores estratégicos
Na visita da senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) à Confederação Nacional da Agricultura (CNA), nesta terça-feira (14), o presidente João Martins apresentou projetos para incrementar setores estratégicos da pecuária. Entre eles, o plano para tornar o Brasil um exportador de leite em pó. Ele informou que está…

7 de ago
Entidades ligadas à agricultura debatem MP com senadores
Agricultores familiares, filiados à Contag e Fetraece, foram recebidos pelo presidente do Senado, Eunício de Oliveira, nesta terça-feira (07) pedindo cuidado na análise da Medida Provisória (MP) 842/2018. A medida concede rebate para liquidação de operações de crédito rural do Pronaf. A senadora Ana Amélia…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail