Criação de empresas juniores em universidades segue para votação no Plenário

24/02/2016 - Educação


Senadora Ana Amélia foi a relatora na Comissão de Constituição e Justiça

Criação de empresas juniores em universidades segue para votação no Plenário

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (24) três emendas da Câmara dos Deputados ao projeto de lei (PLS 437/2012) do senador José Agripino (DEM-RN) que regulamenta a criação e organização de empresas juniores e seu funcionamento junto a instituições de ensino superior. As emendas já tinham sido aprovadas, no final de 2015, pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) e, agora, a relatora na CCJ, senadora Ana Amélia (PP-RS), fez a mesma recomendação. A proposta segue para votação em regime de urgência no Plenário do Senado.

Enquanto as duas primeiras emendas promovem apenas mudanças de redação, a terceira disciplina o processo de reconhecimento das empresas juniores pelas universidades. Nesse ponto, estabelece uma série de requisitos para a elaboração e aprovação do plano acadêmico, além de instituir parâmetros para o desempenho dessas atividades de empreendedorismo.

— A emenda número 3 determina também que as instituições de ensino superior ficam autorizadas a ceder espaço físico a título gratuito, dentro da própria instituição, que servirá de sede para as atividades de assessoria e consultoria geridas pelos estudantes empresários juniores — explicou Ana Amélia.

Ainda pela emenda, as atividades das empresas juniores serão inseridas no conteúdo acadêmico das universidades preferencialmente como atividade de extensão.

Empreendedorismo

Os senadores Eunício Oliveira (PMDB-CE), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Simone Tebet (PMDB-MS) elogiaram não só o projeto, mas também reconheceram a luta de seu autor em defesa do empreendedorismo no Brasil.

Agripino ressaltou a relevância da aprovação da proposta em meio à recessão vivida pelo país. E chamou atenção para a oportunidade gerada pela iniciativa de oferecer aos jovens universitários treinamento conjunto na atividade acadêmica e empresarial.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

3 de ago
Afetadas pela crise, universidades poderão contar com fundos patrimoniais
Em meio às notícias sobre o sucateamento das universidades públicas federais e estaduais – que estão sem recursos até mesmo para atividades básicas de manutenção e pagamento de contas de água, energia e internet – o Senado analisa proposta que pode ajudar a alterar…

6 de jul
Balanço positivo do Fundo Patrimonial Amigos da Poli reforça relevância desse modelo para universidades
Os resultados positivos do Fundo Patrimonial Amigos da Poli em 2016 foram apresentados pelo diretor-presidente Lucas Sancassani senadora Ana Amélia (PP-RS). O Fundo é uma instituição sem fins lucrativos que tem por objetivo desenvolver o potencial dos alunos da…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail