"Constituição não pode ser violada com manobras" diz Ana Amélia sobre fatiamento que permitiu manutenção dos direitos políticos de Dilma

02/09/2016 - Geral


Parlamentar gaúcha apoia ações no STF para rever essa decisão

A senadora Ana Amélia (PP-RS) manifestou preocupação com a decisão que abre um precedente grave para a política brasileira ao manter os direitos políticos da ex-presidente Dilma Rousseff, cujo impeachment foi aprovado nesta quarta-feira (31) pelo Senado. A parlamentar disse apoiar ações no Supremo Tribunal Federal para revisar essa decisão.

— Mantive a coerência e votei pelo afastamento e pela perda dos direitos políticos. A Constituição não pode ser violentada com uma manobra como a que foi feita nesta votação histórica — disse Ana Amélia.

A senadora lembrou que esse precedente grave pode beneficiar o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, cuja cassação deverá ser votada dia 12 de setembro, ou outros políticos acusados de irregularidade, em função dessa interpretação.

Na tarde desta sexta-feira, o PSDB, DEM, PMDB, PPS e Solidariedade protocolaram junto ao STF mandado de segurança pedindo que a ex-presidente Dilma Rousseff fique impedida de ocupar funções públicas. Os partidos querem ainda que o STF considere ilegal o destaque apresentado na votação do impeachment, fatiando a votação e permitindo que Dilma mantivesse seus direitos.



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

28 de abr
Ana Amélia defende direito dos trabalhadores e anuncia voto a favor do fim do imposto sindical obrigatório
A senadora Ana Amélia (PP-RS) ignorou o "dia de greve" e foi ao Senado para participar da sessão desta sexta-feira (28). Na tribuna, a parlamentar afirmou que greves são legítimas, mas defendeu, especialmente, o direito de…

26 de abr
Ana Amélia vota contra projeto de abuso de autoridade e a favor da PEC que acaba com foro privilegiado
A senadora Ana Amélia (PP-RS) votou contra o projeto de lei (PLS 280/2016) que trata do abuso de autoridade e a favor da proposta (PEC 10/2013) que acaba com o foro privilegiado. As matérias…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail