Congresso derruba veto ao Refis das micro e pequenas empresas

3 de abr - Economia


Senadora Ana Amélia votou pela derrubada do veto presidencial, importante para o setor empreendedor

Congresso derruba veto ao Refis das micros e pequenas empresas

O Congresso derrubou nesta terça-feira (3) o veto ao projeto que instituía o Refis para micros e pequenas empresas. O  programa de refinanciamento, permitido às empresas que optaram pelo Simples, regime simplificado de tributação, havia sido aprovado pelo Senado no final de 2017. A derrubada do veto (VET 5/2018) era uma reivindicação de parlamentares e entidades ligadas ao empreendedorismo. A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) discursou a favor da derrubada do veto (vídeo abaixo).

O projeto (PLC 164/2017 — Complementar) abrangia débitos vencidos até novembro de 2017 e exigia pagamento de, no mínimo, 5% do valor da dívida, sem descontos, em até cinco parcelas mensais e sucessivas. O restante poderia ser quitado em até 175 parcelas, com redução de 50% dos juros, 25% das multas e 100% dos encargos legais. Para menos parcelas, o texto permitia descontos maiores.

O veto do presidente Temer foi ao projeto inteiro. A justificativa foi de que a medida feria a Lei de Responsabilidade Fiscal ao não prever a origem dos recursos que cobririam os descontos. A decisão vinha sendo duramente criticada por parlamentares porque, em 2017, o governo sancionou a lei que garantiu refinanciamentos às grandes empresas.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Ana Amélia vota pela derrubada dos vetos ao Funrural e Refis das Micro e Pequenas Empresas


Mais notícias:

1 de nov
Senado aprova projeto para desenvolvimento da metade sul do Rio Grande do Sul
O Senado aprovou, nesta quarta-feira (31), por unanimidade — 53 votos favoráveis — o projeto que autoriza a criação de uma região integrada para o desenvolvimento da Metade Sul do Rio Grande do Sul. A ideia é definir…

10 de ago
Ana Amélia é contra aumento de salário para ministros e parlamentares
A decisão tomada pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal de conceder reajuste em seus próprios vencimentos, a partir do ano que vem, em 16,38%, "é inoportuna e provoca um preocupante efeito-cascata nas despesas públicas. O alerta foi feito…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail