Comissário Europeu da Agricultura enfatiza que acordo entre Mercosul e União Europeia é prioridade

26/05/2015 - Agricultura


Senadora Ana Amélia acompanhou reunião da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, com Phil Hogan, em Bruxelas

Comissário Europeu da Agricultura insiste na prioridade de acordo entre Mercosul e União Europeia

Em encontro com a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, nesta quarta-feira (27), em Bruxelas, o comissário europeu para a Agricultura e o Desenvolvimento Rural, Phil Hogan, deixou claro o interesse do bloco no acordo Mercosul/União Europeia. A reunião foi acompanhada pela embaixadora do Brasil junto à UE em Bruxelas, Vera Machado, pela presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado, senadora Ana Amélia (PP-RS), pelos integrantes da CRA, Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Lasier Martins (PDT-RS), e pelo deputado Valdir Colatto (PMDB-SC).

Kátia Abreu apresentou o protagonismo da produção agropecuária, onde 61% do território continuam com seus biomas originais.

— Não queremos inundar o mercado europeu de carne brasileira — provocou a Ministra, arrancando uma risada do comissário.

— Preferimos negociações coletivas no bloco europeu e não individualmente — observou o comissário europeu, que é irlandês, insistindo em saber das razões da demora no acordo entre União Europeia e Mercosul.

A ministra Kátia Abreu enfatizou que está otimista e que na visita da presidente Dilma Rousseff, em junho, em Bruxelas, esse acordo deverá ser assinado. Entre os temas de interesse do bloco europeu estão: lácteos, pera e maçã, bebidas (vinho e uísque) e pêssego em calda. A ministra lembrou que 1 milhão de produtores de leite são da agricultura familiar. A produção de lácteos no Brasil cresce 5% ao ano, enquanto o consumo aumenta apenas 3% ao ano e exporta apenas 1% dessa produção. O comissário europeu, por sua vez, destacou que os consumidores brasileiros devem ter a possibilidade de dispor de queijos e manteiga de alta qualidade.

Kátia Abreu colocou entre as prioridades a redução da sobretaxa para o açúcar, abertura do mercado europeu para carne suína e frutas e o reconhecimento de zona livre de aftosa com vacinação para Goiás, Distrito Federal e Tocantins. Tanto o comissário europeu quanto a ministra Kátia Abreu entenderam que a reunião de hoje foi passo importante na abertura de um diálogo produtivo e fundamental entre o Brasil e a União Europeia. Kátia Abreu destacou ainda que as portas do Ministério estão abertas para continuar os entendimentos iniciados nesta visita.

Saúde e Segurança da Agricultura

Em seguida, a ministra foi recebida pelo comissário para Saúde e Segurança da Agricultura, Vytenis Andriukaitis, que igualmente ponderou a necessidade de um acordo entre o bloco europeu e o Mercosul para facilitar e simplificar a cooperação nas questões sanitárias. A Ministra voltou a defender a produção da carne brasileira, especialmente suína e bovina.  A Europa abriu para a China e Rússia, devendo fazer o mesmo com o Brasil, ponderou a Kátia Abreu, lembrando que a própria Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu, nesta semana, Santa Catarina e Rio Grande do Sul livres da peste suína clássica e que, em breve, os Estados do Amapá, Amazonas e Rondônia deverão ser certificados como livres de aftosa com vacinação. A ministra enfatizou que até 2016, todo território brasileiro estará livre de aftosa com vacinação.

Durante o encontro, a ministra assegurou que dará prioridade ao exame da agenda apresentada pela UE em relação às questões sanitárias. O Ministério mandará missão para visitas na área da carne bovina. Mesmo que a UE prefira acordos coletivos, a ministra Kátia Abreu disse ter liberado para Lituânia e Bélgica a venda de pescados, pera e maçã, além de um tipo especial de queijo.

Na tarde desta quarta-feira, a ministra Kátia Abreu deixou Bruxelas para Genebra, onde nesta quinta-feira (28) terá reunião com o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevedo.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

11/12/2018
Senado aprova novo limite para compra de leite de pequenos agricultores
O Plenário aprovou emenda da Câmara dos Deputados ao projeto que estabelece um novo limite de aquisição de leite no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo federal (ECD 1/2018). Conforme o texto aprovado, o limite mínimo passa a…

05/12/2018
Aprovada urgência para projeto que garante compra mínima de leite de agricultores familiares
O Plenário vota na próxima terça-feira (11) o projeto que obriga o governo federal a realizar compras mínimas de leite produzido por agricultores familiares. O texto em pauta assegura a aquisição de pelo menos 35 litros por dia. O autor…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail