Comissão de Agricultura e Reforma Agrária analisou 118 propostas legislativas em 2015

18/12/2015 - Agricultura


Presidida pela senadora Ana Amélia, CRA realizou ciclo de debates sobre temas relevantes para o setor agropecuário

Comissão de Agricultura e Reforma Agrária analisou 118 propostas legislativas em 2015

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado encerrou 2015 com 118 propostas legislativas analisadas pelos senadores. No primeiro ano sob a presidência da senadora Ana Amélia (PP-RS), a CRA realizou 66 atividades, sendo 13 seminários do ciclo de palestras e debates, abordando temas relevantes para o setor agropecuário em todo o país.

— Foi um ano difícil em nosso país, mas a comissão contribuiu em temas importantes para o setor rural como o fim do emplacamento de tratores, a defesa agropecuária, a extensão rural, os defensivos genéricos, o crédito agrícola, o seguro rural, as compensações ambientais para os pescadores, o cadastro ambiente rural, a agricultura de baixo carbono, as florestas plantadas, a aquicultura e a pesca, entre outros. Tivemos uma dinâmica muito participativa dos senadores em Brasília, assim como bons resultados indo às localidades durante o ciclo de debates — destacou a senadora.

Levantamento realizado pela TV Senado mostra que até o dia 14 de dezembro foram registradas 112 horas e 32 minutos de transmissão da CRA, deixando a comissão entre as seis comissões com maior tempo de duração ao longo do ano. No período, a TV Senado registrou total de 1866 horas e 44 minutos, captando 986 comissões.

Ciclo de debates

Foram 13 seminários do ciclo de debates pelo país, verificando de perto as dificuldades e oportunidades de desenvolvimento do setor agropecuário. O primeiro deles foi em Não-Me-Toque, por ocasião da Expodireto/Cotrijal, que debateu a questão da obrigatoriedade do emplacamento de máquinas agrícolas. A exigência acabou sendo extinta com a aprovação de Medida Provisória, em julho, vitória comemorada pelos produtores rurais.

Outros três encontros também ocorreram no Rio Grande do Sul: em Porto Alegre, para apresentação do Plano Safra 2015; em Ijuí, sobre a produção leiteira no país; e em Esteio, durante a Expointer, sobre a importância da inspeção agropecuária. O ciclo de debates ainda abordou a crise hídrica, em Petrolina (PE); a aquicultura, em Palmas (TO); o cacau, em Ilhéus (BA) e Belém (PA); o cadastro ambiental rural, em Brasília (DF); questões ligadas a pecuária, em Porto Velho (RO); e a defesa agropecuária, em Chapecó (SC).

Audiências públicas

As audiências públicas, em Brasília, também buscaram soluções a questões relevantes da agropecuária brasileira. Nos 27 debates, foram abordados temas como a greve dos caminhoneiros, em março; os programas prioritários do Ministério da Agricultura, com a presença da ministra Kátia Abreu; as prioridades do Ministério do Desenvolvimento Agrário, com participação do ministro Patrus Ananias; e o Programa Nacional de Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Pronaf), incluindo as suspeitas de irregularidades em Santa Cruz do Sul e Sinimbu, no Rio Grande do Sul. Também foram discutidas a situação do cadastro ambiental rural (CAR); as compensações ambientais para os pescadores artesanais; a manutenção dos trabalhadores rurais no campo; entre outras questões.

Projetos

Entre projetos de lei, avisos e requerimentos, a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária apreciou 118 proposições legislativas este ano. Entre os 37 projetos de lei avaliados, um dos aprovados foi o PLS 254/2014, de autoria da senadora Ana Amélia, para facilitar a renegociação de dívidas contraídas pelos produtores rurais. O texto precisa agora passar pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), antes de seguir para exame na Câmara dos Deputados. Outra iniciativa (PLS 51/2008), que institui a Política Nacional de Abastecimento (PNA), segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). De autoria do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), o projeto estabelece como objetivo assegurar a oferta de alimentos de qualidade, de insumos necessários à produção agrícola, de medicamentos e de água potável.

Os senadores da CRA também aprovaram o PLS 252/2011, que institui o Programa de Microdestilarias de Álcool e Biocombustíveis (Promicro). A ideia, de autoria do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), teve relatório da senadora Ana Amélia e segue para análise na Câmara dos Deputados. Outra medida (PLC 54/2015) aprovada na comissão foi o planejamento plurianual para o agronegócio. O substitutivo da senadora Ana Amélia, ao projeto do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), depende agora de aprovação no plenário.

Avaliação de políticas públicas

Em 2015, a Comissão de Agricultura avaliou a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural para a Agricultura Familiar e Reforma Agrária e a Política Nacional de Defesa Agropecuária, com a realização de audiências e ciclo de debates que embasaram os relatórios finais. A avaliação de políticas públicas federais pelas comissões permanentes do Senado é prevista no Regimento Interno da Casa e ocorre todos os anos.

O senador Dario Berger (PMDB-SC) foi o relator da defesa agropecuária. No relatório aprovado pela CRA, está prevista a apresentação pela comissão de um projeto de lei para instituir a Política Nacional de Defesa Agropecuária, com o objetivo de modernizar práticas e regulamentar normas sobre o controle sanitário. Segundo ele, o marco regulatório do setor é formado hoje por um conjunto de normas infralegais. O relatório completo está disponível aqui.

Em relação à Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural para a Agricultura Familiar e Reforma Agrária (Pnater), o relatório aprovado pela CRA destaca a necessidade de uma fonte de financiamento permanente e de um plano decenal de investimentos. As recomendações estão no documento do relator, senador Donizeti Nogueira (PT-TO), sobre a ação do governo que tem como objetivo levar inovação tecnológica para o campo.

— Os dois relatórios, sobre a defesa agropecuária e sobre a extensão rural, foram muito bem desenvolvidos e contêm informações importantes. Vamos continuar buscando melhorias nessas áreas a partir desse trabalho — afirmou Ana Amélia.

Atuação

Como presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado, Ana Amélia teve atuação decisiva em temas importantes para o setor agropecuário. Um deles foi a subvenção do seguro rural, que após emenda apresentada pela senadora, terá R$ 440 milhões a mais para o próximo ano, totalizando R$ 740 milhões no Orçamento de 2016. A parlamentar gaúcha tratou a questão diretamente com o relator do Orçamento, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) e com a ministra Kátia Abreu, viabilizando a aprovação dos recursos extras que auxiliarão os produtores rurais de todo o país.

Na CRA, a senadora Ana Amélia recepcionou comitivas de países de exterior em busca de aproximação com o setor agropecuário brasileiro. Foram quatro delegações recebidas na comissão. No Exterior, como presidente da CRA, a senadora também acompanhou comitiva brasileira que esteve na França, em maio, quando Rio Grande do Sul e Santa Catarina foram reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como zona livre de peste suína clássica. A certificação sanitária é uma das exigências de países compradores de carne suína e derivados.

Por sugestão da senadora, presidente da CRA, o Senado realizou homenagens a entidades importantes ligadas ao setor, como a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que completou 70 anos em 2015. Por sugestão de Ana Amélia, sessão especial do Congresso também destacou os 45 anos da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e o Dia Internacional do Cooperativismo.

Fonte: Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

11/12/2018
Senado aprova novo limite para compra de leite de pequenos agricultores
O Plenário aprovou emenda da Câmara dos Deputados ao projeto que estabelece um novo limite de aquisição de leite no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo federal (ECD 1/2018). Conforme o texto aprovado, o limite mínimo passa a…

05/12/2018
Aprovada urgência para projeto que garante compra mínima de leite de agricultores familiares
O Plenário vota na próxima terça-feira (11) o projeto que obriga o governo federal a realizar compras mínimas de leite produzido por agricultores familiares. O texto em pauta assegura a aquisição de pelo menos 35 litros por dia. O autor…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail