Comissão de Agricultura apoia reivindicação de pescadores por compensação ambiental

24/09/2015 - Agricultura


Debate presidido pela senadora Ana Amélia teve grande público no Auditório Petrônio Portela do Senado

Comissão de Agricultura apoia reivindicação de pescadores por compensação ambiental

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) vai intervir junto Executivo para que os pescadores artesanais possam receber compensações pelo impacto ambiental causado por exploração de petróleo e grandes obras de infraestrutura em áreas originalmente dedicadas à atividade pesqueira. O assunto foi discutido em audiência pública realizada nesta quinta-feira (24) no Auditório Petrônio Portela do Senado.

Durante o encontro, a presidente da CRA, senadora Ana Amélia (PP-RS), defendeu o direcionamento dos recursos do governo a setores diretamente afetados por esses empreendimentos.

— Será necessária a articulação política da Comissão de Agricultura junto a autoridades responsáveis pelo sistema, para que possamos de maneira definitiva resolver um problema que vem se arrastando há algum tempo — afirmou a parlamentar.

Na avaliação de Fabrício Maia, procurador do Trabalho, a pesca artesanal está entre as atividades mais prejudicadas pelas alterações ambientais decorrentes da exploração de petróleo e obras como hidrelétricas, por exemplo. Ele citou o caso de pescadores afetados pela atividade de navios-sonda a serviço de companhias petrolíferas, que utilizam, para perfurações no fundo do mar, tecnologia que afeta a reprodução de espécies marinhas.

Maia também não vê justificativa para o setor pesqueiro não ter assento na Câmara Federal de Compensação Ambiental e não constar entre beneficiários do benefício, regulamentado pelo Decreto 4.340/2002.

— Esse decreto deve ser alterado para colocar também como destinatários do fundo de compensação os pescadores artesanais, seja para treiná-los, educá-los na área ambiental, profissionalizá-los e também reparar os prejuízos causados pela queda de produtividade – afirmou o procurador.

A opinião também foi compartilhada por outros participantes, como Armando Burle, presidente do Conselho Nacional de Pesca e Aquicultura; e Abraão Lincoln Ferreira da Cruz, presidente da Confederação Nacional dos Pescadores e Aquicultores.

— O pescador não recebe um centavo da compensação ambiental milionária da exploração do petróleo — protestou Abraão da Cruz.

Qualificação

Autor do requerimento para realização do debate pela Comissão de Agricultura, o senador Benedito de Lira (PP-AL) também defendeu o uso dos recursos financeiros para melhorar a qualificação dos trabalhadores do setor.

– Através dessas compensações ambientais, os pescadores podem criar um fundo para melhorar a qualidade do trabalho da pesca artesanal – disse o senador.

O presidente da Federação Nacional das Associações dos Engenheiros de Pesca, Eliseu Augusto de Brito, sugeriu a utilização dos recursos para o sustento do pescador artesanal que participar de cursos de formação ou profissionalização.

– Ele não tem como sair da atividade para assistir aula, então é preciso garantir o sustento dele – argumentou.

Planejamento

Na opinião da secretária de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Ana Cristina Fialho de Barros, os impactos dos empreendimentos sobre a pesca podem ser evitados com um bom planejamento dos projetos.

– O processo de planejamento e licenciamento permite um diálogo entre a pesca e a concepção do empreendimento, para garantir que, no final do processo, essa atividade econômica e esse grupo social não fiquem prejudicados – disse.

Pesca proibida

Para Benedito de Lira, também é necessário apoiar os pescadores que enfrentam a proibição da pesca de diversas espécies consideradas em risco de extinção, conforme a Portaria 445/2014, do Ministério do Meio Ambiente.

– [Para proteger espécies em extinção] já existe o seguro defeso, quando se suspende a pesca de 4 a 6 meses, dependendo da espécie – disse o senador, ao pedir a revogação da portaria.

Conforme Fábio Hissa Vieira Hazin, secretário de Planejamento e Ordenamento da Pesca do Ministério da Pesca e Aquicultura, muitas espécies ficam ameaçadas de extinção não pela atividade pesqueira, mas pelos prejuízos ambientais provocados pelos grandes empreendimentos.

Para ele, os pescadores enfrentam ainda insegurança jurídica devido a mudanças frequentes nas proibições de pesca.

– O pescador sai para o mar sabendo que pode desembarcar uma espécie ou outra, mas não sabe, quando chegar, se vai ser punido por aquilo que pescou. Ele sai como pescador e volta como contraventor – afirmou.

Diálogo

Os senadores participantes pediram mais diálogo e o fim da “queda de braço” entre os ministérios do Meio Ambiente e da Pesca.

– Precisamos de regras que não tragam dificuldades para a atividade. O caminho é o diálogo – frisou Fátima Bezerra (PT-RN).

Em resposta, Fábio Hazin, do Ministério da Pesca e Aquicultura, assegurou que os ministérios não estão em “queda de braço”, mas “de braços dados” em apoio ao setor.

Ao encerrar o debate, a senadora Ana Amélia destacou o compromisso da CRA e do Congresso Nacional para assegurar maior participação do setor nas regulamentações e políticas que afetam os pescadores artesanais.

Comissão de Agricultura apoia reivindicação de pescadores por compensação ambiental



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

9 de nov
Farsul e Federarroz entregam demandas ao ministro da Agricultura
O presidente da Federarroz, Henrique Dornelles, e o vice-presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Ferreira, apresentaram ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, demandas do setor para equiparar os custos de produção no Brasil, aos dos países do Mercosul.…

8 de nov
Senadora garante apoio à demanda dos produtores brasileiros de cebola
A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) vai solicitar o apoio dos ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e da Agricultura, Blairo Maggi, ao pedido da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (ANACE) para aumentar de 10% para 35%…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail