BNDES regulamenta norma que permite a prorrogação do financiamento de caminhões

07/07/2015 - Geral


Senadora Ana Amélia havia cobrado que banco editasse as regras para medida entrar em vigor

BNDES regulamenta norma que permite a prorrogação do financiamento de caminhões

Anunciada em março, em meio aos protestos dos caminhoneiros em todo o país, a prorrogação por 12 meses do vencimento de parcelas relativas ao financiamento de caminhões foi agora regulamentada pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Nas últimas semanas, a senadora Ana Amélia (PP-RS) vinha cobrando agilidade para a norma entrar em vigor e finalmente auxiliar os caminhoneiros.
Em discurso no último dia 24, a parlamentar gaúcha alertou em plenário sobre a dificuldade da categoria, que aguardava desde março pela regulamentação da prorrogação dos financiamentos. Em encontro com Ana Amélia, na última quinta-feira (2), o presidente do banco, Luciano Coutinho, afirmou que “estava cuidando dos caminhoneiros”.

— O presidente do BNDES cumpriu a palavra. A regulamentação é importante para os caminhoneiros neste complicado momento econômico — destacou a senadora.

A parlamentar havia relatado casos de caminhoneiros que tinham ido ao banco com toda a documentação necessária para prorrogar o prazo do financiamento, mas não conseguiam. Medida Provisória com a prorrogação foi aprovada pelo Congresso Nacional (Lei nº 13.126/2015) e faltava apenas a regulamentação do BNDES para entrar em vigor.

Agora, com a autorização divulgada na sexta-feira (3), por meio da circular 26/2015, os bancos comerciais devem passar a refinanciar os caminhões vendidos por meio do Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros (BNDES Procaminhoneiro) e do Subprograma Bens de Capital do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI).

Os caminhoneiros autônomos que compraram caminhões até 31 de dezembro do ano passado por esses programas, e que queiram um fôlego de 12 meses sem pagar parcelas, devem procurar os bancos nos quais fizeram o financiamento. A circular explica como eles devem proceder. O benefício se estende às microempresas de transporte rodoviário de carga com faturamento de até R$ 2,4 milhões por ano.

Aqueles que têm menos de 12 parcelas a pagar também podem jogar essas parcelas para que recomecem a ser pagas daqui a um ano. Os juros das parcelas refinanciadas serão os mesmos do contrato original ou de 6% ao ano. A opção será pela maior taxa, segundo a circular.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

Hoje
O Brasil é uma nação sem consciência da sua própria grandeza e das riquezas presentes em seu território. A afirmação foi feita pelo comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, em audiência pública nesta quinta-feira (22) na Comissão…

21 de jun
Ana Amélia questiona decisão de Fachin de retirar do juiz Moro investigação contra Lula
A senadora Ana Amélia (PP-RS) cobrou, nesta terça-feira (20), explicações do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, sobre a decisão de retirar da 13ª Vara Federal de Curitiba, onde tramitam os processos da Operação Lava Jato sob…

CCJ votará PEC que altera processo de escolha de ministros do STF na próxima semana
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) adiou, para a próxima semana, a votação de um conjunto de 12 propostas de emenda à Constituição (PECs) que modificam o processo de escolha dos ministros do Supremo…

Crise é gravíssima e exige responsabilidade dos líderes de todos poderes, alerta Ana Amélia
A senadora Ana Amélia (PP-RS) manifestou a sua preocupação com os desdobramentos da crise que o país atravessa, sobretudo quando a questão é analisada sob a ótica do funcionamento e autonomia das instituições e dos poderes…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail