Bancada gaúcha tenta reverter entendimento sobre manejo de campos nativos em áreas consolidadas

2 de mai - Agricultura


Parlamentares foram recebidos no Ministério do Meio Ambiente

Bancada gaúcha tenta reverter entendimento sobre manejo de campos nativos em áreas consolidadas

O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, e a presidente do Ibama, Suely Araújo, receberam, nesta quarta-feira (2), a senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) e os deputados Luis Carlos Heinze (Progressistas-RS) e Jerônimo Goergen (Progressistas-RS) para tratar sobre as multas aplicadas a agricultores que manejaram campos nativos nos Campos de Cima da Serra e em outras regiões do Rio Grande do Sul. Também participaram da audiência representantes da CNA, da Farsul, da Casa Civil e um casal de produtores de Vacaria, alvo das multas.

A mudança de entendimento do Departamento Jurídico do Ministério do Meio Ambiente (MMA) sobre o manejo de campos nativos em áreas consolidadas para plantar pastagem para alimentar o gado ou outro tipo de cultura, como grãos, hortifruti e silvicultura, resultou na aplicação de multas que somam até agora R$ 13 milhões. Os parlamentares explicaram que os valores são considerados impagáveis pelos produtores.

De acordo a senadora Ana Amélia, é preciso encontrar uma solução para o impasse que tem gerado insegurança jurídica, para os produtores continuarem suas atividades. Cerca 1,7 mil hectares de áreas foram embargadas pelo Ibama.

— Além dos custos com advogados para contestar as multas, os agricultores deixam de produzir e a economia dos municípios é afetada. Resolver esse impasse é fundamental para dar segurança aos produtores no desenvolvimento da agricultura diversificada e sustentável e também aos órgãos fiscalizadores — disse.

Para reverter as multas, a bancada gaúcha foi aconselhada a levar o caso para o Departamento Jurídico do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Com um parecer diferente do entendimento do MMA, a Advocacia Geral da União será provocada a se posicionar sobre o caso.

Outra ação que será trabalhada pela bancada gaúcha, é tentar a aprovação do PLS 194/2018, de autoria da senadora Ana Amélia. A matéria promove flexibilização da legislação para manter a proteção dos Campos de Altitude e, ao mesmo tempo, permitir ao produtor rural que desenvolva suas atividades sem que esteja sujeito a multas, embargos, processos e problemas ambientais. A matéria tramitará nas comissões de Agricultura (CRA) e de Meio Ambiente (CMA) do Senado. Se aprovado, segue para a Câmara dos Deputados.

Bancada gaúcha tenta reverter entendimento sobre manejo de campos nativos em áreas consolidadas



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

11 de dez
Senado aprova novo limite para compra de leite de pequenos agricultores
O Plenário aprovou emenda da Câmara dos Deputados ao projeto que estabelece um novo limite de aquisição de leite no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo federal (ECD 1/2018). Conforme o texto aprovado, o limite mínimo passa a…

5 de dez
Aprovada urgência para projeto que garante compra mínima de leite de agricultores familiares
O Plenário vota na próxima terça-feira (11) o projeto que obriga o governo federal a realizar compras mínimas de leite produzido por agricultores familiares. O texto em pauta assegura a aquisição de pelo menos 35 litros por dia. O autor…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail