Bancada gaúcha no Congresso debate crise nos hospitais filantrópicos do Rio Grande do Sul

12/05/2015 - Saúde


Diretores de instituições da Santa Casa e secretário estadual da Saúde participaram do encontro

Bancada gaúcha no Congresso debate crise nos hospitais filantrópicos do Rio Grande do Sul

Diretores de hospitais da Santa Casa, de Porto Alegre, e o secretário da Saúde do Rio Grande do Sul, João Gabbardo, participaram da reunião da Bancada Gaúcha do Congresso Nacional nesta terça-feira (12), em Brasília. No encontro, foi debatida a crise dos hospitais filantrópicos do Estado, que vem dificultando atendimentos a pacientes.

Foi definido que a bancada irá auxiliar na articulação da busca por recursos. Serão realizadas reuniões com o governador gaúcho, José Ivo Sartori, e com o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, na próxima segunda-feira (18), em Porto Alegre. Conforme destacou o coordenador da Bancada Gaúcha, deputado Giovani Cherini (PDT), depois serão agendados encontros em Brasília com o vice-presidente da República, Michel Temer, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Na reunião, foram apresentados dados sobre as dificuldades da Santa Casa. Se não houver alteração no repasse de recursos para instituição, haverá redução no atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir do próximo mês. Os números indicam corte em 118 leitos hospitalares, 4.312 internações, mais de 50 mil consultas eletivas, 3.318 atendimentos no pronto atendimento, 3.387 procedimentos cirúrgicos e 375.526 serviços de diagnóstico e tratamento. Dadas essas circunstâncias no quadro da saúde no Estado, a crise se estende aos outros hospitais de vários municípios gaúchos.

O secretário estadual da Saúde, João Gabardo, por sua vez, disse que o governo está fazendo todo o esforço para honrar seus compromissos e afirmou que os repasses estão rigorosamente em dia desde dezembro de 2014. Ele ponderou, também, que não considera o SUS um prejuízo e que planos privados são alternativas de lucro. Além disso, Gabardo relatou que as Santas Casas do Estado receberam incentivo do governo de R$ 1, 2 bilhão em 2014.

A senadora Ana Amélia destacou a necessidade de revisão do financiamento da saúde, pois nas últimas décadas o percentual destinado pela União foi reduzido drasticamente, comprometendo a saúde financeira das instituições e obrigando municípios e Estados a elevarem seus investimentos no setor. A parlamentar gaúcha destacou ainda a necessidade de garantir recursos a essas instituições via emendas da bancada a essas instituições.

— Também temos que brigar pela correção da tabela do SUS, que é uma tragédia para as instituições, com grandes defasagens nos procedimentos — salientou Ana Amélia, lembrando que reportagem recentemente publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo mostrou que a defasagem chegam a 434% em alguns casos.

Também estiveram no encontro o provedor da Santa Casa, Alfredo Englert; o diretor médico do Hospital Dom Vicente Scherer, José Camargo, e diretor médico do Hospital São Francisco, Fernando Lucchese.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

18 de abr
Projeto que regulamenta profissão de esteticista terá sugestões de dermatologistas e fisioterapeutas
O projeto que trata da regulamentação das profissões de esteticista e de técnico em estética foi debatido, nesta terça-feira (18), na Comissão de Assuntos Sociais do Senado. A relatora do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 77/2016, senadora Ana Amélia (PP-RS),…

13 de abr
Alternativas à crise do Hospital São Paulo são debatidas em reuniões em Lagoa Vermelha
O chefe de gabinete da senadora Ana Amélia (PP-RS), Marco Aurélio Ferreira, esteve nesta quinta-feira (13) em Lagoa Vermelha para participar de reuniões que trataram sobre a crise do Hospital São Paulo. Marco Aurélio esteve…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail