Audiência da Comissão de Relações Exteriores debaterá acordos comerciais com outros países

18/02/2016 - Economia


Acordos bilaterais recentes, como o firmado entre Brasil e Uruguai em dezembro, serão o tema da audiência solicitada pela senadora Ana Amélia

Audiência da Comissão de Relações Exteriores debaterá acordos comerciais com outros países

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) realizará audiência pública para tratar de acordos comerciais com outros países. O requerimento da senadora Ana Amélia (PP-RS) foi aprovado na sessão desta quinta-feira (18).

A audiência, em data a ser definida, terá como foco os acordos bilaterais firmados recentemente pelo governo brasileiro, entre os quais o relativo ao Acordo de Livre Comércio entre Brasil e Uruguai. Assinado no dia 9 de dezembro de 2015, ele entrou em vigor em janeiro de 2016, provocando o debate sobre novas formas de relações econômicas com outros países.

Foram convidados o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira; o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro; o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan; o presidente dos Conselhos de Administração e Superior do Sindicato Nacional da Indústria  de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), Paulo Roberto Rodrigues Butori; e o presidente dos Presidente dos Conselhos de Administração e Superior (Sindipeças - Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores); e o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Alarico Assumpção Jr.

Brasil e Uruguai

O Brasil e o Uruguai assinaram em dezembro acordo automotivo de livre comércio. Segundo o tratado, haverá 100% de preferência tarifária no caso de produtos que cumprirem um percentual de conteúdo regional em seus componentes. Para os veículos e autopeças brasileiros, o índice deve ser igual ou superior a 55% e, para os uruguaios, a 50%, de acordo com fórmula estipulada pelo Mercosul. O acordo entra em vigor em 1º de janeiro de 2016.

Os produtos beneficiados pelo entendimento são automóveis de passageiros, ônibus, caminhões, máquinas agrícolas, autopeças, chassis e pneus. Para itens que não cumprirem a regra do mínimo de conteúdo regional, foi estabelecida uma cota de comércio: US$ 650 milhões para o Uruguai e US$ 325 milhões para o Brasil.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

25 de mai
Artigo no jornal NH:
Em artigo publicado no Jornal NH, de Novo Hamburgo, nesta quinta-feira (25), a senadora Ana Amélia (PP-RS) defendeu que o governo reveja medidas que oneram setores importantes da economia brasileira. "O Brasil com 14 milhões de desempregados não dá direito ao governo para aumentar esse contingente com decisões…

Senado aprova MP que permite saque das contas inativas do FGTS
O Plenário do Senado aprovou, nesta quinta-feira (25), a Medida Provisória 763/2016, que permite o saque dos recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) sem a carência de três anos exigida pela lei.A senadora…

23 de mai
Irresponsabilidade da oposição penalizará 15 milhões de trabalhadores, alerta Ana Amélia
A promessa de líderes da oposição de que irão obstruir todas votações em protesto contra o governo penalizará 15 milhões de trabalhadores que ainda não efetuaram o saque das suas contas inativas do FGTS, alertou a senadora Ana Amélia (PP-RS)…

Governo vai analisar impactos da desoneração da folha no setor coureiro-calçadista
Em audiência nesta terça-feira (23), o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, solicitou ao presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, estudo sobre o impacto da desoneração da folha de pagamento no setor coureiro-calçadista. A…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail