Aprovado limite máximo de 25% para ampliação no valor de contratos públicos

06/05/2015 - Infraestrutura


Projeto que segue para a Câmara dos Deputados é de autoria da senadora Ana Amélia

Aprovado limite máximo de 25% para ampliação no valor de contratos públicos

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou em decisão final, nesta quarta-feira (6), projeto de lei (PLS 25/2012) da senadora Ana Amélia (PP-RS) que estabelece limite máximo de 25% para acréscimos ao valor inicial de contratação de obras, serviços ou compras pela administração pública. Se não houver recurso para votação pelo Plenário do Senado, a proposta seguirá direto para a Câmara dos Deputados.

— É importante iniciativa para combater a corrupção e preservar o dinheiro público, pois coloca um limite aos aditivos em todas as obras, serviços e compras da administração pública — destacou a autora.

O PLS 25/2012 altera dispositivo da Lei de Licitações (Lei nº 8666/1993) que hoje permite acréscimos que vão de 25%, em contratos de obras, serviços ou compras, a 50%, no caso de reforma de edifício ou equipamento. O relator, senador José Agripino (DEM-RN), se manifestou a favor do projeto.

— Na hora em que se assina um contrato onde está autorizado automaticamente um reajuste de 50%, o planejamento fica fraturado. Com um reajuste limitado a 25% para obra de qualquer espécie, volta a obrigação de se propor preços que possam ser cumpridos — considerou Agripino.

Ao longo da discussão na CCJ, Ana Amélia se disse satisfeita que uma proposta sua estivesse inaugurando o painel eletrônico de votações da comissão. O senador Eduardo Amorim (PSC-SE) acredita que a medida vai trazer um benefício enorme aos cofres públicos, ao impedir reajustes nas licitações bem acima dos valores iniciais.

Apesar de avaliar a modificação como importante, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) defendeu uma revisão geral na Lei de Licitações.

- Não posso aceitar uma lei que reja desde a construção de uma usina atômica até a compra de lápis pelo poder público – afirmou Anastasia.

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) ressaltou a necessidade de maior controle sobre as notas fiscais de compra de materiais em construções e reformas, para evitar “conluios” entre fiscais de obra e empreiteiros.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

6 de jun
Empresa chinesa fecha acordo para investir no setor elétrico gaúcho
A empresa chinesa Shangai Eletric fechou um acordo com a Eletrosul para assumir os projetos de transmissão de energia no Rio Grande do Sul (RS). O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, atuou na conclusão da parceria após reunião…

1 de jun
Investimento no setor elétrico gaúcho deve ser anunciado até julho
O acordo de transferência da participação da Eletrosul para Shangai Eletric na expansão das linhas de transmissão de energia no Rio Grande do Sul deve ser anunciado até julho. O investimento no setor elétrico foi tema de reunião nesta quinta-feira (01)…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail