Anunciados mais de R$ 100 milhões para a saúde no Rio Grande do Sul

28 de jun - Geral


Programa Telessaúde também será ampliado

Ministro anuncia mais de R$ 100 milhões para a saúde no Rio Grande do Sul

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, anunciou nesta quinta-feira (28), em Porto Alegre, a destinação de R$ 102 milhões para o Governo do Estado do Rio Grande do Sul e 67 municípios gaúchos. O anúncio, no Palácio Piratini, contou com a presença do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, da senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) e demais parlamentares gaúchos. Os recursos serão destinados a procedimentos nos hospitais, custeio e aquisição de veículos para prevenção de endemias.

Outra notícia importante foi o lançamento do Projeto Regula + Brasil do SUS (PROADI-SUS). O programa, que funcionará em Porto Alegre e em outras quatro capitais, permitirá a expansão do programa Telessaúde Brasil Redes do Ministério da Saúde, com foco na teleregulação. O programa já em prática no interior do estado do Rio Grande do Sul atua como um ente regulador entre o atendimento na atenção básica e o encaminhamento para a média e alta complexidade.

Com a medida, o paciente que necessita do encaminhamento especializado passa de imediato por uma avaliação feita por uma equipe de médicos, que participam do núcleo remoto de regulação proposto no projeto. Esses profissionais de forma integrada a uma rede de Telemedicina avaliam com bases em protocolos o caso do paciente com o objetivo de acelerar o processo de direcionamento aos ambulatórios especializados. No encaminhamento, os médicos já indicam a prioridade do caso dentro de uma escala que vai de um a quatro de acordo com a gravidade.

Para a senadora Ana Amélia, a união das instituições com expertise, aliadas ao poder público, será fundamental para que o programa consiga diminuir as filas.

— O programa tem a proposta de zerar filas. É muito importante, pessoas esperam meses por um atendimento e isso pode significar atestado de óbito, especialmente quando falamos em oncologia — destacou. 

Para o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, a medida vai permitir solucionar um gargalo da saúde, que são as filas de espera.

— Estima-se que o atendimento na atenção básica resolva 80% dos problemas de saúde da população, ou seja, o projeto Regula+Brasil é mais uma ferramenta de qualificação para o sistema que busca incentivar o aprimoramento e os melhores resultados em saúde no SUS — reforçou o ministro.

Aproveitando a presença do ministro da Saúde em Porto Alegre, a senadora Ana Amélia promoveu audiência com o provedor da Santa Casa de Misericórdia, Alfredo Englert, e com o diretor Júlio de Matos, que apresentaram algumas demandas em relação à liberação de recursos federais e convidaram Occhi para abertura de evento na área da oncologia, dia 8 de agosto.

A Santa Casa Segunda é a segunda maior prestadora de serviços do SUS no país. Possui sete instituições de saúde e mais de 1,1 mil leitos.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

1 de nov
“É possível ser produtivo e zelar pelo uso do dinheiro público”, afirma Ana Amélia
A sociedade está cada vez mais vigilante no trabalho dos políticos, principalmente no uso de benefícios e produtividade. A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) foi à tribuna do Senado, nesta semana, para destacar que é possível zelar pelo…

30 de out
Estatais que dão prejuízo e não prestam serviço à população devem ser fechadas, diz Ana Amélia
Em discurso na tribuna nesta terça-feira (30), a senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) disse que um dos caminhos para ajudar a resolver o dilema da falta de dinheiro nos cofres do governo aponta para as estatais,…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail