Ana Amélia protesta contra perda da superintendência do BC em Porto Alegre

27 de fev - Economia


Proposta inicial seria fechar o departamento de Meio Circulante

Ana Amélia protesta contra perda da superintendência do BC em Porto Alegre

Após receber a informação do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), sobre a possibilidade de suspensão das atividades da regional do Banco Central em Porto Alegre, a senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) foi à tribuna, nesta terça-feira, anunciar que pedirá explicações ao Banco, e levará o tema para ser discutido na Bancada Gaúcha. 

Em reunião no gabinete da parlamentar, os diretores do SINAL, Epitácio da Silva e Daro Piffer (Foto), informaram que o departamento de Meio Circulante, responsável pela entra e saída de dinheiro, teria recebido a informação que seria a primeira unidade a ser fechada. O Banco Central tem apenas nove regionais em todo o Brasil. No caso de fechamento da regional em Porto Alegre, os trabalhos deveriam ser transferidos para Curitiba.

— A alegação do Banco Central é que essa superintendência, sobretudo o departamento de meios circulantes, está numa área central da capital gaúcha, onde há muito movimento de veículos e há insegurança na movimentação dos valores ali, carros-fortes, mas desde que aquela instituição foi ali instalada nunca houve nenhum registro de tentativa de assalto a carros-fortes à frente do Banco Central em Porto Alegre — esclareceu.

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

1 de nov
Senado aprova projeto para desenvolvimento da metade sul do Rio Grande do Sul
O Senado aprovou, nesta quarta-feira (31), por unanimidade — 53 votos favoráveis — o projeto que autoriza a criação de uma região integrada para o desenvolvimento da Metade Sul do Rio Grande do Sul. A ideia é definir…

10 de ago
Ana Amélia é contra aumento de salário para ministros e parlamentares
A decisão tomada pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal de conceder reajuste em seus próprios vencimentos, a partir do ano que vem, em 16,38%, "é inoportuna e provoca um preocupante efeito-cascata nas despesas públicas. O alerta foi feito…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail