Ana Amélia pede apoio ao ministro Armando Monteiro para evitar prejuízos à economia das cidades de fronteira

25/06/2015 - Economia


Ministro do MDIC disse que vai levar o assunto à Receita Federal por entender os prejuízos que podem ser causados aos municípios de fronteira

Ana Amélia pede apoio ao ministro Armando Monteiro para evitar prejuízos à economia das cidades de fronteira

Durante reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE), nesta quinta-feira, com a presença do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, a senadora Ana Amélia (PP-RS) pediu o seu apoio para que a Receita Federal agilize a regulamentação da lei que autoriza a instalação de free shops nas cidades gêmeas de fronteira no Brasil.

O projeto que resultou na lei foi aprovado no Congresso Nacional em 2012, com a relatoria da senadora Ana Amélia. A parlamentar argumentou que ao mesmo tempo em que há demora na regulamentação, outro problema é a norma do governo federal que reduziu de US$ 300 para US$ 150 a cota de compras em free shops nas fronteiras, prevista para entrar em vigor dia 1º de julho.

O ministro, por sua vez, lembrou que no Senado chegou a relatar projeto prevendo o aumento do valor dessa cota. Disse também que já recebeu informações sobre o assunto de lideranças de Foz do Iguaçu (PR), também apreensivas com a situação, e sinalizou de forma positiva ao apelo da senadora gaúcha.

— Vou levar esse assunto à Receita Federal, pois entendo que tem repercussão social e que afeta a economia dessas regiões de fronteira, além do problema de estimular práticas que se colocam à margem do controle — afirmou.

Ana Amélia acrescentou que a redução no valor da cota, sem ocorrer a regulamentação da lei, trará enormes prejuízos à economia de cidades gaúchas que fazem fronteira com localidades do Uruguai que possuem free shops, por exemplo, como Chuí, Aceguá, Quaraí, Santana do Livramento, Barra do Quaraí e Jaguarão.

—Serviços de hotelaria, restaurante, farmácias, supermercados, entre outros serão afetados. Então, em nome das cidades da fronteira, eu faço esse apelo para que o governo tenha sensibilidade — destacou.

A senadora pediu que tal medida seja suspensa ou adiada.

— E o que nós queremos agora é que se mantenha a cota dos US$ 300 pelo menos por um ano, até que as medidas relacionadas à regulamentação venham — disse, horas depois, em discurso na tribuna do Senado (vídeo abaixo).

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Ana Amélia cobra regulamentação da Lei dos Free Shops e suspensão da redução de cota para compras na


Mais notícias:

17 de abr
Modernização das leis trabalhistas é tema de debate promovido pelas federações das indústrias dos estados do Sul
No painel que debateu a modernização das leis trabalhistas, no 1º Fórum Sul Brasileiro de Relações do Trabalho, nesta segunda-feira (17), a senadora Ana Amélia (PP-RS) defendeu o fim da contribuição sindical obrigatória para empresários e…

30 de mar
Sindicato apresenta estudo sobre impacto da correção das tabelas do Imposto de Renda na economia
Um estudo inédito realizado pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Rio Grande do Sul (Sescon-RS) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) revela que, dos R$ 97 bilhões arrecadados pelo…

Ana Amélia pede agilidade na liberação de recursos do Proex
Em discurso na tribuna nesta quarta-feira (29), a senadora Ana Amélia (PP-RS) cobrou do governo mais agilidade em relação às operações do Programa de Financiamento às Exportações do Governo Federal (Proex). A morosidade nos processos tem prejudicado exportadores brasileiros, disse a parlamentar, lembrando…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail