Ana Amélia critica Medida Provisória que aumenta IPI sobre a produção de vinhos

14/10/2015 - Economia


MP 690/2015 propõe acréscimo na taxação do setor vitivinícola

Ana Amélia critica Medida Provisória que aumenta IPI sobre a produção de vinhos

Na tribuna do Senado, nesta quarta-feira (14), a senadora Ana Amélia (PP-RS) cobrou alterações na MP 690/2015, que aumenta o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre a produção de vinhos e espumantes brasileiros. A MP propõe cobrança de 10% sobre o valor do produto na saída da indústria.

Uma garrada de vinho de R$ 40, por exemplo, passará a ser taxada em R$ 4. Antes, era cobrado R$ 0,73 por garrafa. A parlamentar gaúcha pediu ao relator da MP, senador Humberto Costa (PT-PE), que altere o texto para evitar a elevação do tributo à produção nacional de vinhos e espumantes.

Ana Amélia teme que o aumento do preço ao consumidor aprofunde as dificuldades da vitivinicultura nacional. A senadora ressaltou a importância da produção do vinho para o estado do Rio Grande do Sul. Contou que há dez anos, 90% do espumante consumido no Brasil eram importados. Hoje, 95% têm origem no país.

— Não podemos sacrificar esse setor, que é extremamente importante para a economia do Rio Grande do Sul e do país, com alto valor agregado. São milhares de famílias que trabalham e dependem dessa atividade — ressaltou.

A parlamentar destacou reunião que teve nesta terça-feira (13) com o diretor-executivo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Paviani, o diretor-executivo da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho), Helio Luiz Marchioro, o presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), Dirceu Scottá, e a presidente-executiva da Associação Brasileira dos Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas (Abba), Raquel de Almeida Salgado. Na ocasião, foi apresentado o quadro preocupante do setor, caso o aumento na tributação realmente entre em vigor a partir de 1º de dezembro.

— Essa medida retira a competitividade do setor. Em vez de estimular a cadeia produtiva nacional, a MP vai na mão contrária — declarou Ana Amélia.

Ana Amélia critica Medida Provisória que aumenta IPI sobre a produção de vinhos

Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

8 de nov
Comissão mista da Lei Kandir ganha mais 120 dias de trabalho
Foi aprovada nesta quarta-feira (8), em sessão do Congresso Nacional, a prorrogação dos trabalhos da Comissão Mista Especial da Lei Kandir. A comissão, que teria até 12 de dezembro para trabalhar, ganhou mais 120 dias. A senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), membro da…

Plano de recuperação fiscal do RS é entregue à Temer
Em reunião com o presidente da República, Michel Temer, nesta terça-feira (08), o governador José Ivo Sartori, apresentou o pedido de acordo para aderir ao Regime de Recuperação Fiscal do Estado. Durante o encontro, que contou com a presença da senadora Ana…

“País chegou ao ápice da crise federativa”, diz senadora
O relator da Comissão Especial Mista da Lei Kandir, senador Wellington Fagundes (PR-MT), recebeu comitiva de parlamentares gaúchos nesta quarta-feira (08). O grupo, integrado pela senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), reclama que o relatório reduz as chances de o Rio Grande do Sul receber os…

1 de nov
Avança na Câmara projeto que garante acesso das cooperativas de crédito aos recursos do FAT
O projeto de lei 3.067/2011, que autoriza o acesso das agências oficiais e bancos de desenvolvimento, bancos cooperativos e confederações e centrais de cooperativas de crédito aos recursos do Fundo de Amparo…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail