Ana Amélia aponta rombo nos fundos de pensão no governo do PT

30/06/2016 - Economia


Somente em 2015, informou a senadora, o prejuízo foi de R$ 45 bilhões

Ana Amélia aponta rombo nos fundos de pensão no governo do PT

A senadora Ana Amélia (PP-RS) rebateu, nesta quinta-feira, críticas feitas por petistas ao comparar o atual e o anterior governo. Para ela, a forma como colegas avaliam o governo interino dá a entender que o Brasil, até maio de 2016, era um paraíso e que, após o afastamento de Dilma, tornou-se um inferno.

Mas a situação não é exatamente essa, advertiu Ana Amélia, ao lembrar que o PT, histórico defensor dos trabalhadores e aposentados, é responsável pela nomeação de pessoas para gerenciar os fundos de pensão de estatais, como o Petros, da Petrobras; o Funcef, da Caixa; o Previ, do Banco do Brasil; e o Postalis, dos Correios, com interesses partidários.

Por causa da ingerência política, sublinhou Ana Amélia, foram feitos investimentos e aplicações equivocadas. Em 2015 houve um rombo de R$ 46 bilhões nos fundos de pensão.

— E sabe sobre quem vai pesar esse prejuízo de gestões temerárias, que usaram [dinheiro dos fundos de pensão] e aplicaram em papéis do seu Eike Batista, botaram em projetos que foram inviabilizados economicamente? É o trabalhador da Petrobras, dos Correios, do Banco do Brasil, da Caixa Federal. Esses trabalhadores é que vão desembolsar muito mais dinheiro para que não tenham prejuízo na hora da aposentadoria.

Ana Amélia lembrou também que, às vésperas de ser afastada, Dilma Rousseff concedeu aumento de 9% no Bolsa Família.  E que o presidente interino, Michel Temer, reviu esse índice e decidiu reajustar o benefício em 12,5%. Essa elevação, segundo Ana Amélia, só foi possível por causa do combate às fraudes no pagamento do Bolsa Família.


Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Ana Amélia aponta rombo nos fundos de pensão no governo do PT


Mais notícias:

25 de mai
Artigo no jornal NH: Ameaça ao setor calçadista
Em artigo no jornal NH, a senadora Ana Amélia alertou que a redução no imposto de importação para calçados esportivos trará impactos sociais e econômicos negativos, entre eles o desemprego nesse dinâmico setor.https://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2018/05/noticias/opiniao/2271086-ameaca-ao-setor-calcadista.html

24 de mai
Novo presidente do Sescon-RS apresenta estudos sobre dívida pública e Imposto de Renda
O novo presidente do Sescon-RS, Célio Levandovski, entregou para a  senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) nesta quinta-feira(24), dois estudos produzidos pela PUC/RS em parceria com o sindicato. Um deles trata da evolução da dívida pública e a importância do controle de…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail