Alternativas à crise das Santas Casas e hospitais filantrópicos são debatidas no Ministério da Saúde

04/11/2015 - Saúde


Senadora Ana Amélia acompanhou representantes do setor no encontro com o ministro Marcelo Castro

Alternativas à crise das Santas Casas e hospitais filantrópicos são debatidas no Ministério da Saúde

Representantes das Santas Casas e dos hospitais filantrópicos e parlamentares que defendem o setor participaram, nesta quarta-feira (4), de audiência com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e com o diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Henrique Paim. Realizada por iniciativa da senadora Ana Amélia (PP-RS), a reunião abordou alternativas para auxiliar as instituições na superação da grave crise financeira.

O diretor da Santa Casa de Porto Alegre, Júlio Dornelles de Matos, apresentou as reivindicações do setor, entre elas a ampliação da carência de 6 meses para 2 anos dos empréstimos do BNDES Saúde e a redução da taxa de juros cobrada pelo banco para 0,5% ao ano, além da possibilidade de ampliar as parcelas de financiamento de 84 pra 120 meses. Ele sugeriu ao ministro a criação de um grupo temático para avaliar as demandas. O ministro falou sobre a crise financeira e os cortes no orçamento, mas afirmou que trata a questão como prioridade e garantiu que irá estudar as propostas.

Matos também fez um relato sobre a situação dramática do setor que compreende hoje 2,1 mil instituições em todo o País e é responsável por 60% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As dívidas atuais superam R$ 21 bilhões e o déficit somente no ano passado foi de quase R$ 9 bilhões. Em pelo menos mil municípios que contam com santas casas ou hospitais filantrópicos, essas entidades são as únicas instituições hospitalares. O setor emprega diretamente 480 mil pessoas e realiza, por ano, 280 milhões de atendimentos ambulatoriais.

O debate sobre o tema foi intensificado a partir de sessão temática ocorrida no começo de setembro, por iniciativa da senadora Ana Amélia, no Plenário do Senado. Desde lá já foram realizadas reuniões no BNDES e encontros entre representantes da própria instituição e do Ministério da Saúde para avaliar a questão. A formação de um grupo técnico, caso confirmada, também poderá significar novos avanços diante da crise. O BNDES, que já havia recebido a lista de demandas há cerca de um mês, segundo Henrique Paim, poderá ampliar a carência de seis meses para um ano e avalia outras possibilidades.

Participaram ainda do encontro os senadores Waldemir Moka (PMDB-MS), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Elmano Ferrer (PTB-PI) e Humberto Costa (PT-PE), o presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, deputado Antonio Brito (PTB-BA), e os representantes das Santas Casas: presidente da Confederação das Santas Casas de Misericórida, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB), Edson Rogatti; diretor-geral da CMB, José Luiz Spigolon; diretor Financeiro da Santa Casa de Porto Alegre, Ricardo Englert; e superintendente de Planejamento Financeiro da Santa Casa de Belo Horizonte, Gonçalo Abreu Barbosa.

Alternativas à crise das Santas Casas e hospitais filantrópicos são debatidas no Ministério da Saúde



Fonte: Agência Senado e Assessoria de Imprensa


Mais notícias:

10 de out
Ana Amélia destaca movimento Outubro Rosa e ações para informar direitos dos pacientes com câncer
Na tribuna, nesta terça-feira (11), a senadora Ana Amélia (PP-RS) destacou o Outubro Rosa, mobilização para conscientizar a sociedade sobre a importância das ações de prevenção ao câncer de mama. As chances de cura, quando a doença é…

5 de out
Prefeitos gaúchos solicitam ao ministro da Saúde flexibilização das UPAs 24h
A falta de recursos para manter UPAs 24h em diversos municípios gaúchos preocupa os novos gestores que precisam cumprir contratos assinados por seus antecessores sem ter recursos para manter o padrão das unidades. Nesta quinta-feira (05), a senadora Ana Amélia (PP-RS), o…

Acompanhe NOSSO TRABALHO
nas redes sociais

Receba novidades e informações no seu e-mail